Edmundo: "Se me chamarem, eu volto"

Na sua volta ao Palestra Itália, após 10 anos, Edmundo foi ovacionado pela torcida do Palmeiras. Mas se mostrou um péssimo visitante: fez os dois gols do Figueirense, ambos de pênalti, no empate por 2 a 2. Mas não foi uma tarefa prazerosa. Tanto que Edmundo nem festejou os gols. ?Não pude comemorar porque eu tenho carinho por essa torcida. De alguma maneira, queria que o Palmeiras fosse campeão?, disse o atacante do Figueirense.E a torcida realmente mostrou que não esqueceu o ídolo, que não atuava no Palestra Itália desde maio de 95. Ao entrar em campo, mesmo com a camisa do Figueirense, ele foi recebido aos gritos de ?Au, au, au, Edmundo é Animal?.Edmundo retribuiu com acenos e beijinhos. ?É emocionante ver a torcida gritar meu nome. É um sinal que a gente fez coisas boas aqui?, admitiu o jogador de 34 anos.Na saída para o vestiário, já com o estádio quase vazio, Edmundo foi além: vestiu uma camisa 7 do Palmeiras ? a mesma que usou nos dois anos e meio em que atuou pelo clube -, e foi conversar com um grupo de torcedores. Beijou o escudo e prometeu que, se o chamarem, volta. ?Veja bem, não estou implorando para voltar? explicou Edmundo. ?Mas se me chamarem, venho com prazer. Foi aqui que vivi os anos mais felizes da minha carreira.?Tanta emoção não o impediu de criticar sua própria equipe. ?O Figueirense é time de passagem. Cada um quer aparecer mais que o outro. Aí não dá! A gente começa bem, mas depois desanda. E aí os outros crescem?, atacou Edmundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.