Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Edmundo 'se vê' em Dudu e confia: 'Ele fará história pelo Palmeiras'

Ídolo alviverde aprova seu 'substituto' na camisa 7 do clube

Felippe Scozzafave e Rafael Fiuza, O Estado de S. Paulo

29 Março 2015 | 10h50

A camisa 7 do Palmeiras está em boas mãos. Pelo menos essa é a opinião de uma referência do clube que vestia o mesmo número: Edmundo. Para o ex-craque, Dudu tem um estilo de jogo parecido com o seu. Ele aprovou a aposta feita pela diretoria do Palmeiras, que investiu pesado na contratação do atacante e mostrou confiança. Edmundo disse ainda que se tiverem paciência com o atleta, ele dará muitas alegrias para o torcedor.

"É um jogador sensacional e possui características muito parecidas com as minhas. Ele é aguerrido, driblador, mas eu acho que ainda precisa criar uma harmonia maior com a torcida para que se solte mais. Ele tem potencial para fazer história no Palmeiras com a camisa 7, que acredito que tenha uma energia diferente", comentou o "Animal", como era carinhosamente chamado Edmundo pelos torcedores do Palmeiras. Ele esteve na festa de despedida de Alex.

O ex-jogador, ídolo tanto do Palmeiras quanto do Vasco e um dos grandes astros do futebol brasileiro, principalmente na década de 90, Edmundo ainda lamentou a aposentadoria do ex-camisa 10 alviverde, que, segundo ele, é "o último 10 clássico do futebol brasileiro". "É uma pena que jogadores como o Alex e o Djalminha não tenham disputado uma Copa do Mundo. Jogadores com essas características fazem muita falta no futebol de hoje", disse, exaltando as qualidades de Alex e aproveitando para "cutucar" Paulo Henrique Ganso, meia do São Paulo, que, com talento indiscutível, não vem rendendo o esperado. "Eu o vejo sem muita vontade e sem muita determinação. O Alex sempre teve essa sede de fazer o gol, de chegar na área e também sempre foi muito generoso e colocava seus companheiros na cara do gol."

Mais conteúdo sobre:
Palmeiras Alex futebol despedida Edmundo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.