Edmundo vibra, mas lembra que Palmeiras não está garantido

A festa começou antes do jogo com o América para Edmundo. Com uma placa de prata em comemoração aos 200 jogos com a camisa palmeirense. ?É bacana, é importante, hoje no futebol brasileiro é difícil um jogador completar essa marca num time. Hoje o atleta se destaca e já vai para a Europa ou outros centros?, disse o jogador, cercado de crianças.Nos 90 minutos seguintes, o dono da festa liderou seu time rumo à vitória. E comemorou depois: ?O Palmeiras foi dedicado, buscou a vitória. É assim que eu gosto?, disse Edmundo. ?Mas ainda não temos nosso espaço garantido. É uma luta constante e diária [para conquistar a classificação às semifinais]?, comentou. A equipe do Palestra Itália ocupa o terceiro posto na tabela com 31 pontos, apenas dois a mais que o Bragantino.Edmundo e o Palmeiras agora enfrentam o São Paulo, domingo no Morumbi. E o camisa 7 não hesitou ao analisar os dois times que farão o clássico: ?O Palmeiras vem em uma boa seqüência, está empolgado no campeonato. Do outro lado tem um grande time, que tem sido uma pedra enorme para nós. Mas hoje encaramos de igual para igual?, declarou.Aos 35 anos, Edmundo mostrou garra, raça, correu bastante. E teve o nome gritado pela torcida palmeirense, que lotou o Estádio Benedito Teixeira. ?Isso mostra a força de um clube grande, mesmo estando tão longe da capital?, completou.Michael, que marcou o primeiro gol e deu o passe para o segundo, fez questão de elogiar o time inteiro. ?Edmundo foi o craque, estava sob os holofotes da partida, mas não foi o único destaque do time.? Lateral-esquerdo de origem, Michael tem jogado como meia. E disse que o gol desta quinta-feira foi fruto do trabalho: ?Durante os treinos, eu peço para bater faltas e praticar finalizações.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.