Edson volta, mas Rosinei pensa em rescindir contrato

Ambos foram vítimas de ameaças de torcedores no domingo, em treino após a derrota por 2 a 1 para o Sport

Fábio Hecico, Estadão

03 de outubro de 2007 | 19h15

Dois pesos e duas medidas. Enquanto o lateral-direito Edson resolveu cumprir seu contrato com o Corinthians até o fim do ano, o meia Rosinei está pensando seriamente em rescindir seu vínculo, que também se encerra em dezembro. Ambos foram vítimas de críticas e ameaças de torcedores no domingo, durante o treino no Parque São Jorge logo após a derrota por 2 a 1 para o Sport, no Pacaembu. O ala voltou a treinar nesta quarta, após dois dias de folga, e trabalhou em dois períodos com o auxiliar de preparação física Carlos Pimentel. Por enquanto, não sofreu novas represálias, já que nenhum torcedor apareceu no Parque São Jorge. "Ele vai cumprir seu contrato normalmente, até dezembro, mas não fica no Brasil a partir de janeiro", informou seu empresário, Nick Arcuri. Edson estuda três propostas do futebol europeu: do Saint Étienne, da França, Nacional da Ilha da Madeira, de Portugal, e Recreativo Huelva, da Espanha. "Porém, não significa que vai sair por medo da torcida, ele respeita demais os corintianos. Vai mesmo é para fazer sua independência financeira e para ganhar espaço", garantiu o empresário do ala, de 24 anos, e que só jogou no Corinthians. Edson retornou ao clube após passar dois dias tentando tranqüilizar os pais no ABC. Deve, contudo, levar apenas a irmã para a Europa. Manifestantes no Parque São Jorge, no domingo, o acusaram de provocar a torcida mandando beijinhos. A situação de Rosinei é bem diferente. O meia não está disposto a enfrentar novamente a ira dos torcedores. Por recomendação dos pais, dos irmãos e da esposa, contratou os serviços da advogada Mariju Maciel, especialista em legislação desportiva, e deve pedir a rescisão do contrato, restando apenas dois meses - o Corinthians já havia oferecido o rompimento do vínculo, o que deve ser definido até o fim da semana.  "Temos uma reunião no clube na sexta-feira, às 11 horas, onde o que for melhor para o Corinthians e para o Rosinei será decidido", informou a advogada. "Ele, porém, ainda não decidiu."

Tudo o que sabemos sobre:
Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.