Eduardo da Silva nega ter desculpado Taylor por lesão

Atacante do Arsenal diz que o zagueiro inglês contou uma 'mentira colossal' e que nunca lhe procurou

Ansa

07 de março de 2008 | 14h39

O brasileiro Eduardo da Silva, atacante do Arsenal vítima de uma violenta entrada que lhe custou uma dupla fratura exposta - na tíbia e no perônio - e sete meses de afastamento, desmentiu nesta sexta-feira o inglês Martin Taylor, zagueiro do Birmingham City, que havia afirmado que se desculpou pela agressão."Isso tudo é uma mentira colossal. Taylor não só não veio me procurar, como também não tentou fazer o mínimo contato que fosse, nem mesmo por telefone", disse Eduardo, em uma entrevista à televisão da Croácia, país no qual também atua (na seleção nacional) por possuir a dupla cidadania.Taylor chegou a dizer que apresentou um pedido formal de desculpas ao brasileiro, quando o visitou em um hospital de Londres, fato que Eduardo nega firmemente. O atacante de 25 anos, nascido no Rio de Janeiro, teve que ser operado logo após o incidente, ocorrido durante uma partida da Premier League, e vai ficar pelo menos sete meses fora dos campos."O que escreveram nos jornais ingleses não reflete a verdade, que é muito diferente. Não houve pedido de desculpas por sua parte, e eu não aceitei nenhuma desculpa. Não podia ser de outra maneira", disse Eduardo, queixando-se do modo como a imprensa britânica tem "manipulado o caso". "Até inventaram uma entrevista em que eu o perdoava, quando, na verdade, nunca lhe concedi desculpas".

Tudo o que sabemos sobre:
Eduardo da Silvaagressão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.