Eduardo Viana terá semana decisiva

A próxima semana será decisiva e poderá inaugurar uma nova etapa no futebol carioca, com a destituição de Eduardo Viana, o Caixa D?água, do cargo de presidente da Federação Estadual de Futebol (Ferj). A nova tentativa de tirar o poder do dirigente começou esta semana, quando ele depôs na Delegacia de Repressão às Ações do Crime Organizado (Draco). Além disso, o promotor de Justiça Rodrigo Terra informou que entrará na segunda-feira com uma ação civil pública na Justiça Comum para afastá-lo da entidade. Na quinta-feira, Caixa D?água depôs por cerca de duas horas na Draco, no inquérito que apura a evasão de renda, estelionato e apropriação indébita nos jogos promovidos pela federação carioca. O processo está sob "segredo de Justiça", mas o dirigente negou todas as acusações. Ao sair da delegacia, ele se recusou a falar com os jornalistas e, apressado, protagonizou uma cena hilária ao escorregar nas escadas que levam à saída do prédio e cair no chão, em frente às câmeras de TV. Além do inquérito policial, Caixa D?água também passou a ter problemas com o Ministério Público. O promotor Terra afirmou que o dirigente vem desrespeitando vários itens do Estatuto do Torcedor e de Defesa do consumidor, e, por isso, é passível de destituição do cargo. De acordo com o promotor, o principal erro de Viana tem sido a falta de transparência contábil. Terra explicou que, a partir do momento em que entrar com a ação, o juiz terá até três dias úteis para pronunciar a sentença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.