Edvar não deve aceitar cargo de Rivellino

A contratação do substituto de Roberto Rivellino deve ficar para a próxima semana. Edvar Simões, o preferido da cúpula corintiana para ser o novo diretor de Futebol, está tendo dificuldades para conseguir liberação junto ao time de basquete Corinthians/Mogi e pode ser descartado se a novela se prolongar demais. Nesta sexta-feira, ele dirige a equipe em jogo do Campeonato Nacional. Já avisou que está concentrado só nisso e não pretende misturar as coisas. No único contato com o presidente Alberto Dualib, Edvar disse que não pretendia quebrar unilateralmente o contrato com o Corinthians/Mogi. Além disso, o ex-gerente de Futebol comentou com amigos que ficou magoado com o desprezo dos dirigentes corintianos, que contrataram Rivellino em outubro de 2003 e deixaram-no praticamente sem função. O vice-presidente de futebol Antonio Roque Citadini já percebeu que a negociação com Edvar pode fracassar. Por isso mesmo faz questão de não cogitar outros nomes para o lugar de Rivellino. "Não estamos preocupados com isso agora. O Corinthians procura outra pessoa, mas ainda estamos conversando", despistou o dirigente em Porto Feliz, interior de São Paulo, onde o time faz a segunda etapa de sua intertemporada. Citadini, aliás, foi uma atração à parte no amistoso contra o Ituano, quarta-feira, em Itu. O dirigente provocou risos quando o Alianza Lima fez o primeiro gol contra o São Paulo (jogo da Libertadores disputado simultaneamente, no Morumbi). Ele foi até o sistema de som do Estádio Novelli Júnior e insistiu para que o funcionário da cabine anunciasse o placar parcial. Só não contava com a virada são-paulina (3 a 1) e com a derrota corintiana (2 a 1). O Corinthians pode ainda perder Rogério para o jogo do dia 14, contra o Fortaleza, pela Copa do Brasil. O lateral bateu com as costas na trave e saiu do campo para o hospital. O raio-X não constatou fratura, mas o jogador terá de ficar em repouso pelo menos até o começo da semana. Foi a terceira derrota consecutiva. Antes, o Corinthians perdera para o Barueri (1 a 0) e o Santo André (2 a 0). Mas o técnico Oswaldo de Oliveira está tranqüilo. "Com o tempo, o time vai se encaixar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.