Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians
Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Eficiente na defesa, Corinthians 'sofre' no ataque e empata com o Vitória

Alvinegro fica no 0 a 0 com rubro-negro, fora de casa, pelo jogo de ida nas oitavas da Copa do Brasil

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2018 | 21h28

Aquele Corinthians frio e calculista visto nos últimos jogos funcionou pela metade no empate sem gols com o Vitória, no Barradão. O que sobrou de eficiência na defesa, faltou no ataque. Assim, o time não passou grandes sustos, mas também levou pouco perigo. 

+ TEMPO REAL - Vitória 0 x 0 Corinthians

+ Corinthians comemora resultado e poder 'decidir em casa' vaga na Copa do Brasil

O ponto forte do time alvinegro é o conjunto. Quando encaixa diante do esquema tático do adversário, a vitória é quase certa. Além do entrosamento, a boa fase de Rodriguinho também é algo que tem colaborado para deixar o Corinthians na liderança do Brasileirão e colecionando feitos em campo.

Nada disso aconteceu nesta quarta-feira. O meia, que sonha diariamente com a convocação para a Copa na Rússia, teve atuação bem discreta. Parecia ansioso para tentar resolver mais uma vez o jogo para o Corinthians. 

O clube baiano mostrou valentia e se atreveu a ir para cima do adversário que todo mundo tenta derrotar, mas parou em suas limitações técnicas. Exceto um chute na reta final da partida, em que Cássio fez grande defesa, teve praticamente a função de espectador em campo. 

Ao contrário do que aconteceu no último encontro entre as equipes, quando o Vitória derrotou o Corinthians na Arena, em Itaquera, e acabou com a invencibilidade de 34 jogos do time comandado por Fábio Carille. Nesta quarta, Mancini tentou aprontar mais uma vez diante do seu amigo. Os dois fizeram cursos na CBF juntos e antes da bola rolar, o corintiano foi ao vestiário do Vitória dar uma camisa do time paulista para o companheiro. 

+ Grêmio vence Goiás fora de casa e encaminha vaga às quartas da Copa do Brasil

O clima cordial parece que chegou aos atletas também. Nada de confusão com a bola rolando e pouca emoção em chances de gol. O resultado sem gols faz com que o jogo em Itaquera, provavelmente no dia 9 de maio (a CBF ainda não confirmou a data) se torne mais uma chance do Corinthians afastar de vez o fantasma do Vitória, o estraga prazer do ano passado, e também dá ao clube baiano a oportunidade de mais uma vez jogar água no chope corintiano. 

Com a mudança no regulamento da Copa do Brasil, o gol fora de casa não faz mais diferença. Logo, o empate com gols levará a decisão para os pênaltis. Mas antes de pensar novamente no Vitória, Carille terá que mais uma vez preparar o time para um jogo apostando na conversa. 

O Corinthians já volta a campo no domingo, para encarar o Atlético-MG, e com problemas. Renê Júnior se machucou no treinamento de terça-feira e pode ficar fora por um tempo. 

Nesta quarta, foi a vez de Ralf, seu companheiro de posição, também deixar o gramado chorando, por causa de dores no ombro esquerdo. Pode ser desfalque para a maratona que segue até a paralisação dos campeonatos para a Copa do Mundo. Será mais um desafio para Carille administrar. 

FICHA TÉCNICA

VITÓRIA 0 x 0 CORINTHIANS

Vitória: Caíque; José Welison, Kanu, Ramon e Juninho (Pedro Botelho); Willian Farias, Uillian Correia, Yago (Nickson), Neilton e Rhayner (Guilherme); Denilson. Técnico: Vagner Mancini. 

Corinthians: Cássio; Fagner, Balbuena, Henrique e Sidcley; Ralf (Gabriel), Maycon, Jadson (Mateus Vital) e Rodriguinho; Romero e Clayson (Emerson). Técnico: Fábio Carille. 

Juiz: Braulio da Silva Machado (SC).

Amarelos: José Welison, Gabriel, Neilton, Henrique.

Público: 11.411 pagantes (renda de R$ 170.333,00). 

Local: Barradão, em Salvador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.