Elano celebra vitória em 'estreia' no comando do Santos: 'Não podia perder'

Aposentado no final de 2016, ex-meiocampista comando o time a beira do gramado pela primeira vez

Estadão Conteúdo

08 de junho de 2017 | 09h46

Técnico interino do Santos no duelo com o Botafogo, Elano revelou após o sofrido triunfo por 1 a 0, na noite de quarta-feira, no Pacaembu, que se sentiu pressionado a "estrear" na função com vitória. Por isso, festejou o resultado alcançado nos acréscimos do segundo tempo, com o gol marcado por Victor Ferraz em cobrança de falta.

"As derrotas fazem crescer, mas hoje eu não podia perder. Os jogadores são a maior parte dessa vitória", afirmou Elano, auxiliar permanente na comissão técnica do Santos e que recebeu a incumbência de dirigir o Santos após a demissão de Dorival Júnior, enquanto Levir Culpi não assume o comando do time.

Diante do Botafogo, Elano repetiu o sistema tático das partidas anteriores, mas com uma mudança relevante, a entrada de Vecchio para realizar a armação das jogadas, na vaga do lesionado Lucas Lima, que vinha sendo ocupada por Vladimir Hernandez com Dorival. Além disso, sem poder contar com Zeca, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira, apostou em Matheus Ribeiro, Arthur Gomes e Kayke.

Durante o jogo, colocou Jean Mota, Kayke e Rodrigão em campo. O time não brilhou, exibiu certa desorganização e criou poucas chances de gol, mas garantiu o triunfo. Como Levir Culpi só assumirá o Santos na próxima semana, Elano voltará a dirigir o time no domingo, fora de casa, diante do Atlético Paranaense, na Arena da Baixada. "Quero entregar com duas vitórias", disse.

Com a vitória desta quarta-feira, o Santos chegou aos seis pontos, em 12º lugar no Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.