Elano e Neymar são atrações na despedida do Santos

Elano e Neymar são as únicas atrações da tarde deste domingo na Vila Belmiro. O meio-campista, maior contratação para a Copa Libertadores da América do ano que vem, vai dar uma volta no gramado e saudar o torcedor, e Neymar está confirmado para enfrentar o Flamengo, às 17h. Além do goleiro Rafael, dos titulares só o garoto de R$ 100 milhões vai estar em campo e, durante a semana, ele disse quer pretende encerrar a temporada com gols e uma grande atuação. O restante do time entrou em férias após o treino de sexta-feira.

SANCHES FILHO, Agência Estado

05 de dezembro de 2010 | 08h56

Como o Flamengo se livrou do risco de rebaixamento mesmo com a derrota diante do Cruzeiro na última rodada, o jogo de hoje perdeu o interesse. Nem mesmo a presença de Vanderlei Luxemburgo, desafeto da atual administração, na Vila Belmiro, está sendo lembrada. A partida também terá pouca utilidade para as observações do novo treinador, Adílson Batista, que vai começar a trabalhar na segunda-feira, porque o time estará descaracterizado.

Para o interino Marcelo Martelotte, será o fim de uma curta aventura como responsável de um dos times mais badalados da temporada e comandante do jovem e polêmico pop star Neymar. Ele dirigiu o time em 18 jogos - 17 pelo Campeonato Brasileiro e um amistoso -, e o seu aproveitamento foi baixo: cinco vitórias cinco empates e oito derrotas.

A explicação é que Martelotte pegou o time em alta, sob a direção de Dorival Júnior respaldado pela aprovação de 75% dos santistas, e teve dificuldade para superar a crise gerada pela rebeldia do xodó dos santistas. "O início do meu trabalho foi difícil em razão do momento de transição. A demissão do Dorival não foi provocada por maus resultados, e a saída dele gerou um problema emocional", explicou Martelotte.

O interino perdeu na estreia contra o Corinthians, mas chegou a dar esperança ao torcedor com resultados importantes como as vitórias contra o Cruzeiro (Arena Barueri), Fluminense (Engenhão, no Rio) e Internacional (Vila Belmiro) para em seguida ter uma sequencia de altos e baixos. "De um modo geral, deixo o comando do time satisfeito e o balanço que faço é positivo", acrescentou o treinador.

A partir de segunda-feira, Martelotte voltará a ser integrante da comissão técnica permanente do clube e vai trabalhar ao lado de Adílson Batista, passando informações sobre os jogadores e ajudando na elaboração do planejamento para a temporada de 2011. A permanência ou não de alguns jogadores vai depender muito do que Martelotte escrever no relatório a ser entregue à direção do clube e ao sucessor de Dorival. Mas ele procura diminuir a importância do seu parecer.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato BrasileiroSantos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.