Elano melhora e deve voltar ao Santos

O meia Elano estava animado com o tratamento da contusão de seu tornozelo e acredita que são grandes as chances de jogar domingo contra o União São João de Araras. "As dores diminuíram bastante, mas ainda não sei o que acontecerá na hora de chutar a bola", disse ele, que volta a treinar nesta quinta-feira no campo. "Mas as possibilidades de jogar domingo são muito grandes", completou, mostrando o tornozelo bem desinchado.Leão também conta com essa recuperação de Elano para escalar o meia na partida contra o São João, mesmo que tenha de mexer no time que vem se dando bem. "Isso não é um problema e todos os jogadores que estão aqui sabem que podem entrar ou sair de uma partida, pois são todos titulares". Ele vai administrar essa situação, que não é nova para ele."Tenho três goleiros e os três querem jogar e estaria preocupado se não tivesse nenhum para escalar".Se Elano jogar, ele poderá tirar Basílio ou Robgol, mas disse que ainda não pensou nisso e tem muito tempo para decidir. Falou na hipótese de manter Robinho e Basílio como dupla de atacantes: "são dois jogadores bem parecidos, são velocistas, sabem driblar e têm presença na área. Hoje o Robinho virou artilheiro e é difícil um jogo que ele não faz, enquanto antes não passava nem perto".Mesmo com os gols que tem marcado, Basílio sabe que ainda não conseguiu a condição de titular e acha que é uma situação normal num time como o Santos, com tantos jogadores talentosos. Para Leão, "Basílio é titular, mas isso não significa que vai jogar sempre".Segundo Basílio, "Elano é um jogador importante para o time e o professor é que vai decidir quem jogará e o que ele decidir está bem decidido". Mesmo que tiver de voltar para o banco, não haverá problemas. "Não vim aqui para trombar, mas para ajudar". Claro que nem tudo é tão pacífico. "Se gostasse de ficar no banco, não teria condições de estar aqui num time como o Santos".Ele está satisfeito com o futebol que vem desempenhando e, principalmente, com o entrosamento que conseguiu com os novos companheiros. "Normalmente, a adaptação leva de 3 a 5 jogos, mas como o Santos é uma equipe formada há um bom tempo, isso facilitou minha adaptação".Basílio mantém sempre a tranqüilidade e encara o momento atual como um dos melhores de sua carreira. E tem sempre uma palavra amistosa para ops companheiros, mesmo para aqueles com quem disputa uma vaga. "O Robgol tem sido muito importante, por criar os espaços que estamos aproveitando". Mas ele fala também do seu posicionamento no Santos."Na maioria dos clubes que atuei, eu preparava as jogadas pelas laterais e aqui há muitos jogadores que fazem jogada de linha de fundo e jogam pelas pontas, como o Léo, o Robinho e outros, e eu tenho me posicionado mais dentro da área".Já o goleiro Júlio Sérgio se apressou a desmentir uma crise com o técnico Leão, depois que perdeu a condição de titular para Doni. "Leão e o Pedrinho Santilli conversaram comigo, explicaram da maneira que acharam correta e eu tenho de aceitar, pois respeito muito a opinião deles". Mas revelou que colocou sua opinião: "deixei bem claro que gostaria de ter permanecido pelo que havia feito".Júlio Sérgio entende que vai continuar disputando a posição de titular, como sempre fez. "Se não lutasse para estar no time, não merecia estar aqui".Ele nunca havia ficado sem ser relacionado e isso o chateou. "Fiz quatro jogos normais, muitos bons e o professor Leão teve a opção dele.Eu como atleta tenho que respeitar e continuar trabalhando para poder voltar".A fase que está vivendo é considerada por ele um momento diferente em sua carreira. "Vou tirar isso como experiência. Enquanto eu me enquadrar no sistema de trabalho do Santos, continuo. Hoje estou feliz e vou continuar aqui".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.