Élber sonha com título e mudanças

No seu primeiro ano no futebol francês, o atacante brasileiro Élber está perto de conquistar a liga francesa com o Lyon. Basta vencer o Paris Saint-Germain, amanhã, para levantar o campeonato com uma rodada de antecipação. Mesmo assim, o jogador não está completamente satisfeito. "Não sou mais o mesmo Giovane Élber do Bayern. Só teve uma ou duas partidas em que fiquei feliz com meu rendimento", admitiu ontem em Paris, onde está concentrado para a partida decisiva de amanhã.O maior problema é a adaptação ao futebol francês. "Estava acostumado a jogar um futebol coletivo, como é praticado na Alemanha. Aqui, vale mais o lado individual de cada atleta. Tive muita dificuldade. Na verdade, ainda estou me adaptando ao futebol francês", contou o jogador, que tem como companheiros Juninho Pernambucano, Edmílson e Caçapa.Até a organização (ou desorganização) do futebol francês incomodou o brasileiro, acostumado com a eficiência germânica. "Veja o calendário. Estamos concentrados para o jogo de sábado e não sabemos as datas da próxima rodada. Como o Monaco se classificou para a Copa dos Campeões e há o amistoso entre França e Brasil - e temos jogadores nas duas seleções - a Federação ainda não definiu a rodada. Na Alemanha, não há mudanças. No início do torneio, você sabe os dias e os horários de todos os jogos", comparou."Jogamos em alguns estádios aqui que seriam da 2ª ou 3ª divisão da Alemanha. Além disso, aqui não tem roupeiro. Os próprios jogadores cuidam de seu material de treino. É um costume dos franceses, segundo me contou Lizarazu (ex-colega do Bayern). Entendo que é um costume, mas até no Londrina tínhamos alguém que cuidava do nosso material."Élber tem contrato com o Lyon por mais uma temporada e garantiu que pretende cumpri-lo integralmente. Mas há fortes rumores de um possível retorno ao futebol alemão, mais precisamente ao Hertha Berlin. O jogador não confirma: "Estou com 31 anos. Gostaria de jogar mais um ano no Lyon e depois mudar de equipe. Talvez para outro país (Espanha é seu preferido) ou mesmo retornar para a Alemanha."O futebol francês, admite o jogador, não era sua primeira opção quando resolveu sair do Bayern de Munique. Ele imaginava que fosse para a Espanha ou Itália. Mesmo assim, acha que a experiência francesa tem valido a pena: "Não me arrependo. É sempre uma experiência nova. Além disso, quero morar no Brasil quando parar de jogar e acho que se fôssemos direto da Alemanha para o Brasil íamos estranhar demais. A França parece o Brasil na Europa", brincou o jogador.Em relação ao jogo de amanhã, Élber está confiante. "O PSG tem tradição, enquanto o Lyon é um time jovem. Seria ótimo conquistar o título em cima de um adversário tão forte."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.