Élder Granja se apresenta com a camisa do Palmeiras

Lateral-direito é aposta para posição que está carente no clube desde a saída de Arce, em 2002

Daniel Akstein Batista, O Estado de S. Paulo

07 de janeiro de 2008 | 18h32

O Palmeiras apresentou nesta segunda-feira seu segundo reforço para a temporada, para uma posição que estava carente desde a saída do paraguaio Arce, em 2002. O lateral-direito Élder Granja, ex-Internacional, vestiu a camisa alviverde feliz por ter chegado ao clube paulista com o apoio do técnico Vanderlei Luxemburgo. Veja também: Palmeiras acerta a contratação do meia Diego Souza "É sempre importante ter o aval do treinador", falou o atleta de 25 anos, que deve assumir a vaga de Wendel no lado direito. "Chego confiante, estava precisando disso."  Élder Granja garante estar 100% recuperado das várias lesões que sofreu em 2007 - fez apenas quatro jogos na temporada passada e perdeu a posição de titular para Ceará na equipe gaúcha. "No ano passado tive lesão muscular atrás de outra. Agora já está tudo tranqüilo."  O fato de Luxemburgo ter trazido uma comissão técnica facilitou a vinda de Granja para o Palmeiras. O atleta está empolgado por trabalhar com profissionais de alto gabarito, como o fisioterapeuta Nilton Petroni, o Filé. "Isso motiva. O Filé é um grande profissional e já me deu um trato legal."  Em 2007, o Palmeiras contratou Paulo Sérgio para ser o titular do lado direito. O jogador, porém, não conquistou a torcida e nem o treinador Caio Júnior e esquentava direto o banco de reservas. Wendel, que fora improvisado na posição (atuava anteriormente de volante), acabou ficando como titular. Agora, em 2008, Paulo Sérgio já não está mais no Palmeiras e Wendel deve ficar como reserva. O novo jogador palmeirense explica as diferenças do seu estilo de jogo em comparação com Wendel. "Ele é um atleta de mais força, marca muito. Eu já tenho mais facilidades para atacar", falou.  Com ele em campo, o Palmeiras ganhará força ofensiva pelo lado direito, justamente como na época em que Arce era a principal arma da equipe, com seus perigosos cruzamentos - o paraguaio foi campeão da Copa do Brasil, em 1998, e da Taça Libertadores, no ano seguinte. Após a saída de Arce, em 2002, o Palmeiras não conseguiu emplacar um lateral-direito que tivesse o aval dos torcedores. Bruninho, André Cunha, Baiano, Amaral, Correa e Paulo Baier foram alguns dos atletas que passaram pelo clube, sem sucesso. Élder Granja quer agora conquistar a confiança dos palmeirenses. "O Arce foi um jogador que ganhou títulos aqui. Acredito que posso ter um bom desempenho e me firmar na condição [de titular]. O torcedor pode esperar de mim muita vontade e determinação."  Liberado O goleiro Marcos passou por exames médico numa clínica de São Paulo, nesta segunda, e foi liberado para jogar. O pentacampeão mundial fraturou o braço esquerdo no ano passado, em março, e não atuou mais. Ele terá agora de recuperar a forma física antes de retornar aos gramados. Vanderlei Luxemburgo já avisou que quer contar com a experiência do goleiro de 34 anos - ele, no entanto, dificilmente será titular na estréia do Campeonato Paulista, no dia 17, contra o Sertãozinho.  O grande reforço O meia Diego Souza, que se destacou na última temporada com a camisa do Grêmio, será até o momento a contratação de mais peso do Palmeiras para 2008. O jogador, que tem seus direito federativos vinculados ao Benfica, foi contratado pelo clube alviverde, com ajudo de sua parceira Traffic, por nada mais do que cerca de 3,7 milhões de Euros (cerca de R$ 10 milhões), uma soma alta para o mercado brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.