Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Arena Amazônia tem renda de R$ 93 mil em final do Estadual

Estádio construído para a Copa do Mundo vira 'elefante branco'

Estadão Conteúdo

22 de junho de 2015 | 20h33

Um ano depois de receber a Copa do Mundo, a Arena Amazônia vai se confirmando como um "elefante branco". No sábado, o estádio recebeu sua primeira final de Campeonato Amazonense, entre Nacional e Princesa do Solimões. Mas apenas 6.787 pessoas foram ao estádio ver o 43.º título estadual do Nacional, gerando R$ 93.825 em renda.

A partida foi apenas a sexta da Arena Amazônia neste ano. Em janeiro, foi organizado em Manaus um triangular amistoso entre São Paulo, Flamengo e Vasco, mas a Arena ficou longe de ficar lotada. Em fevereiro, o Nacional jogou contra o Vilhena, de Rondônia, pela Copa Verde. A partida reuniu pouco mais de 2 mil pessoas. Também a primeira partida da final estadual foi lá.

No ano passado, os times locais deram a "sorte" de enfrentar equipes grandes na Copa do Brasil, garantido bons públicos em Nacional x Corinthians e Princesa x Santos. Além disso, cinco jogos de cariocas nas Séries A e B do Brasileirão e da Copa do Brasil foram levados a Manaus, inclusive o clássico Botafogo x Flamengo.

Neste ano, entretanto, até agora os administradores da Arena Amazônia não conseguiram atrair nenhum clube grande para jogos oficiais. Como comparação, a Arena Pantanal, em Cuiabá, já tem três partidas da Série A agendadas para acontecer lá. Além disso, o estádio é a casa do Cuiabá, que disputa a Série C. Só este ano, a Arena Pantanal já recebeu mais de 35 partidas, a ampla maioria com público irrisório. A final do Campeonato Mato-Grossense reuniu 5.600 pessoas.

Já o Estádio Mané Garrincha, em Brasília, neste ano recebeu jogos amistosos de Flamengo e Cruzeiro contra o Shakhtar Donetsk, um jogo do Brasileirão (Atlético-MG x Fluminense) e outro da Série B (Atlético-GO x Botafogo). A partida final do Estadual teve público de mais de 24 mil torcedores.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolArena Amazônia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.