Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Eleição presidencial do Santos pode ir para a Justiça

Imbróglio envolve a possibilidade de o pleito ser disputado com urnas eletrônicas, o que não foi bem aceito por alguns candidatos

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

09 de dezembro de 2014 | 08h38

Dois dos cinco candidatos a presidente do Santos na eleição marcada para sábado anunciaram que vão ingressar na Justiça com pedido de liminar para que o processo de votação seja por cédulas de papel, e não com urnas eletrônicas de uma empresa privada. O presidente do Conselho Deliberativo e da Assembleia Eleitoral, Paulo Schiff, reuniu os coordenadores das chapas nesta segunda-feira, na Vila Belmiro, e, na votação para decidir o sistema a ser adotado, o resultado foi 3 a 2 a favor das urnas eletrônicas.

Votaram pelas urnas eletrônicas os representantes de José Carlos Peres (Chapa 1, Santos Vivo), Nabil Khaznadar (2, Avança, Santos) e Fernando Silva (5, Mar Branco). Orlando Rollo (Chapa 3, Pense Novo Santos) e Modesto Roma Júnior (4, Santos Gigante) levaram a pior.

"Vamos lidar com seis mil pessoas e estamos temerosos que algo de pior possa acontecer. O sistema é o mesmo, então a probabilidade de novos problemas é enorme. Fomos prejudicados já no sábado e as outras chapas não estão preocupadas. O senhor Paulo Schiff está de brincadeira", disse Rollo. "Vamos juntar nossos laudos técnicos e nosso jurídico vai intervir."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolsantos fceleiçãoJustiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.