Eleições atrapalham a vida do Santos

O Santos corre atrás de um técnico de ponta, precisa renovar alguns contratos e, principalmente, montar o time para a próxima temporada. Isso tudo está parado, por conta das eleições que irão definir a próxima diretoria para o próximo biênio e hoje os dirigentes passaram o dia em campanha, já que duas chapas concorrem: a Rumo Certo, encabeçada por Marcelo Teixeira, e a Resgate Santista, que tem o jornalista Paulo Schiff à frente. Por conta desse esforço eleitoral de última hora, as negociações só irão prosseguir a partir de segunda-feira. A prioridade é a contratação de um treinador de ponta e o nome de Vanderlei Luxemburgo é o primeiro da lista. Ele tem o perfil desejado pelo clube e isso ficou mais evidente com a estrutura montada no CT Rei Pelé, que poderá hospedar os jogadores nas pré-temporadas e concentrações. O problema maior é que Luxemburgo estuda várias propostas, está tentado a permanecer na Europa e só vai pensar no assunto a partir da semana que vem, quando retornará ao Brasil. A possibilidade de dirigir a seleção brasileira depois da Copa do Mundo é um outro complicador para os santistas, que pretendem a realização de um trabalho de longo prazo para a montagem do novo time, que terá jovens atletas das categorias de base ao lado de jogadores consagrados. Os santistas sabem que será muito difícil o retorno de Luxemburgo, mas mantêm a esperança de chegar a um acerto na semana que vem. Muricy Ramalho é o segundo nome e nas últimas semanas surgiram comentários sobre Abel Braga, nome que não tem consenso entre os diretores, ao contrário do ex-técnico do Real Madrid, que tem o aval até da oposição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.