Montagem/Estadão
Montagem/Estadão

Elenco da Argentina vale 36 vezes mais do que o da Jamaica

Times fecham Grupo B em duelo neste sábado, pela Copa América

O Estado de S. Paulo

19 de junho de 2015 | 11h22

O confronto entre Argentina e Jamaica, neste sábado, em Viña del Mar, coloca frente a frente os favoritos ao título contra os 'azarões' da Copa América 2015, no Chile. O valor de mercado das duas equipes ilustra bem o desequilíbrio entre os times: o elenco da Argentina soma um total de US$ 556 milhões (R$ 1,71 bilhão), em valores estimados de mercado, enquanto os 'Reggae Boys', como são conhecidos os jogadores jamaicanos, contabiliam 'modestos' US$ 15,4 milhões (R$ 47 milhões).

Desta forma, o time de Messi, Agüero e companhia vale nada menos do que 36 vezes mais que o adversário deste sábado. As duas equipes se enfrentaram apenas duas vezes na história: a primeira foi na Copa do Mundo de 1998, em que a Argentina goleou por 5 a 0. O segundo confronto ocorreu em amistoso de 2010, quando a Argentina voltou a vencer, desta vez, por 2 a 1 apenas.

Porém, o lateral Pablo Zabaleta pede seriedade ao time para fechar a primeira fase na primeira colocação do Grupo B: 'A Jamaica não será um rival fácil, temos de tratar esta partida com a seriedade necessária'. A seleção caribenha, por sua vez, precisa de um 'milagre' para ir às quartas de final da Copa América: após duas derrotas, a seleção precisa vencer a Argentina por 2 gols de diferença e torcer para o Paraguai derrotar o Uruguai. Mesmo assim, ainda dependeria de resultados do Grupo C, porque entraria nas quartas na condição de melhor terceiro lugar.

Para o jogo, o treinador argentino Tata Martino deve até se dar ao luxo de poupar jogadores pendurados, evitando cartões que poderiam tirá-los das quartas de final: Romero, Mascherano, Otamendi, Roncaglia e Rojo podem começar no banco. Sergio Agüero, após levar pancada no ombro esquerdo, deve dar vaga a Carlos Tevez no ataque. Caso a Argentina corresponda as expectativas e derrote a Jamaica, deve terminar a primeira fase na liderança do Grupo B. Desta forma, aguardaria a confirmação do segundo melhor 3º colocado para conhecer o adversário que enfrentaria em 26 de junho, em Viña del Mar. Caso fique na segunda posição da chave, pode até enfrentar o Brasil nas quartas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.