Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Elenco do São Paulo evita comemorar permanência na Série A: 'Era nossa obrigação'

Time do Morumbi empatou sem gols com o Botafogo, mas combinação de resultados livra a equipe de rebaixamento

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

19 Novembro 2017 | 20h08

Os jogadores do São Paulo lamentaram o empate sem gols com o Botafogo, neste domingo, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, sobretudo por acreditarem que o time tricolor fez uma apresentação superior aos visitantes no estádio do Pacaembu. O time já soma quatro jogos seguidos sem vitória no Nacional.

+ Combinação de resultados livra São Paulo do rebaixamento

Apesar do empate diminuir ainda mais as chances do São Paulo se classificar para a Libertadores, o time agora está matematicamente livre do risco de rebaixamente, uma vez que Ponte Preta e Vitória se enfrentam na próxima rodada do torneio. “Foi o pior ano da história do São Paulo. Graças a Deus não fomos rebaixados”, afirmou Pratto. Para Marcos Guilherme, superar o risco de queda não deveria ser comemorado. "Um time como o São Paulo não pode fcar feliz porque se livrou do rebaixamento."

“Fomos superiores ao Botafogo", defende o centroavante Lucas Pratto. "Não fizemos um grande jogo, mas fomos superiores e criamos jogadas na frente. Eu mesmo tive uma boa chance, mas infelizmente a bola foi na trave. Mesmo com desfalques (de Hernanes e Arboleda), a nossa equipe lutou em busca da vitória até o final, e acredito que devemos valorizar o empenho de todos.”

Para Jucilei, o São Paulo precisa continuar trabalhando e lamentou o resultado diante de sua torcida. “É complicado empatar em casa, porque hoje a gente tinha que ganhar, principalmente diante da torcida. Deixamos escapar mais uma vez, mas o segredo é trabalhar. Fizemos um bom jogo e poderíamos ter vencido. Evitar a queda era nossa obrigação"

O meio-campista Shaylon, que teve nova chance como titular, atribuiu o empate ao jogo fechado dos adversários. Ele teve uma boa chance de marcar, com uma bomba de fora da área. “Foi um belo chute, mérito dele que fez uma grande defesa. A gente criou, mas infelizmente a bola não entrou. Tentamos manter a intensidade, mas o times deles estava muito fechado.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.