Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians
Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Elenco experiente é a principal arma do Corinthians na luta pelo bi da Libertadores

Luan e Cantillo se juntam a Cássio, Fagner e Boselli para liderar time na competição continental

João Prata, O Estado de S.Paulo

05 de fevereiro de 2020 | 10h00

O Corinthians montou elenco experiente na atual temporada para a disputa da Libertadores, que será um pouco mais longa do que para seus rivais Palmeiras, Santos e São Paulo. O time alvinegro precisará passar por dois adversários em partidas mata-mata antes da fase de grupos. Além de Cássio, Fagner e Boselli, que já estavam na equipe, chegaram também atletas com o perfil para disputar o torneio continental como Luan e Cantillo. 

Cássio foi um dos heróis da conquista da Libertadores pelo Corinthians em 2012. Fagner não estava no elenco, mas carrega no currículo dois títulos nacionais, três estaduais consecutivos além da Copa América do ano passado pela seleção brasileira. 

Boselli tem duas taças da Libertadores, uma pelo Boca Juniors (2007) e outra pelo Estudiantes (2009). Pouco utilizado na temporada passada sob comando do técnico Fábio Carille, o atacante argentino começou bem a temporada com Tiago Nunes e já marcou quatro gols no Campeonato Paulista. 

Agora chegaram Luan, eleito melhor jogador da América em 2017 após levar o Grêmio ao título da Libertadores daquele ano, e o colombiano Cantillo, que veio do Junior Barranquilla e tem a experiência de disputar competições sul-americanas." Libertadores não tem jogo fácil, independente se é pré, se é fase de grupos ou mata-mata, temos que encarar todos os jogos da mesma forma. Não vai ter jogo fácil", disse Luan.

Para evitar surpresas na fase inicial, Tiago Nunes vem tentando repetir sua formação ideal em sequência, sem pensar em poupar. Luan defendeu a opção do treinador. "Isso é importante. Quanto mais a gente jogar, mais rápido vamos nos entrosar e entender como os companheiros gostam de jogar, como querem receber a bola, essas coisas. Quero estar jogando sempre, independente do jogo. Vai nos fazer pegar esse entrosamento", declarou.

O atacante tem sido mantido entre os titulares, apesar das atuações discretas nas últimas partidas. Luan tentou justificar o motivo de ter participado pouco dos jogos. "Na minha posição, às vezes a gente fica um pouco sem pegar na bola por estar muito próximo das duas linhas do adversário", disse.

"Em toda a minha carreira eu joguei assim. Fiz gols e ajudei meus companheiros. Eu quero ajudar, seja com gols ou assistências. Essa é minha forma de jogar", explicou.

O volante Cantillo veio a pedido de Tiago Nunes justamente por se destacar na Libertadores do ano passado. Ele demorou para ser regularizado pelo Corinthians e perdeu os dois jogos iniciais do Paulistão. 

Mas desde que começou a jogar, deu nova cara para a equipe. Tiago Nunes explicou a função do jogador. "Ele dá o volume de jogo e dá troca de lado de campo. Ele acha esse equilíbrio. É um jogador de excelência, tem uma combinação boa com o Camacho, que também dá essa construção", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.