Elenco são-paulino mantém "pés-no-chão"

A vitória sobre o Corinthians deve ter feito muito torcedor sonhar com dias gloriosos, e até com o título do Campeonato Brasileiro. Um entusiasmo que não contagia os jogadores. "Para nós, não mudou nada. Estamos ainda lutando para escapar do rebaixamento. Ganhamos do Corinthians, mas ainda estamos apenas dois pontos na frente do Flamengo", diz o agora cauteloso Cicinho, conhecido por frases otimistas.O lateral-direito do São Paulo diz que uma nova avaliação só pode ser feita dentro de algumas rodadas. Três ou quatro. "Se a gente ganhar alguns jogos seguidos depois desse clássico pode ser que a situação esteja mais fácil. Então, dá para analisar outras hipóteses. Por enquanto, não."É a mesma tese defendida por Josué. "A gente já está na Copa Libertadores, então não tem essa briga para ficar entre os quatro primeiros. Para nós, é o título ou nada, e por enquanto não dá para sonhar. Vamos jogar, lutar e depois a gente vê onde chega."O volante sonha em repetir o feito de 2003, quando ainda estava no Goiás. O clube terminou o primeiro turno em último lugar, quatro pontos atrás do penúltimo. E, depois, iniciou uma reação lembrada até hoje. "Nós ficamos 16 partidas seguidas sem derrota. Foi muito legal, escapamos fácil do rebaixamento. E só chegaram dois jogadores, o Grafite e o Simão (volante). Vamos repetir essa dose aqui no São Paulo."A receita, segundo ele, é não se precipitar. "A situação é dura, e não se resolve de uma vez. Temos de fazer pontos em todos os jogos, só isso. A gente ganhava três, empatava um e não desistia. Ia lá, ganhava mais dois, empatava um. Vamos assim, de ponto em ponto."Para o técnico Paulo Autuori, não se deve pensar que o rebaixamento é um fantasma já exorcizado, mas também não se deve colocar um teto para a reação. "A gente vai lutar para manter essa ascensão. Vamos reagir, isso é um fato, mas ninguém sabe aonde essa reação vai dar. Só o tempo."No primeiro turno, o São Paulo conseguiu apenas quatro pontos nos três primeiros jogos - derrota contra o Fluminense, empate diante do Paraná e goleada sobre o Corinthians - e agora, contra os três, já foram sete pontos. Contra o Coritiba, para manter a reação, é necessário repetir a dose do turno. Depois, o Vasco, no Morumbi. O chamado jogo de seis pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.