Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Nelson Almeida / AFP
Nelson Almeida / AFP

"Eles fizeram por merecer", diz Thiago Silva após vice na Copa América

Zagueiro admite que Brasil, após ficar em desvantagem no placar, não foi o que costumava ser

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2021 | 00h17

Depois de 28 anos de jejum, a Argentina levantou um troféu. E foi justamente contra o Brasil, em pleno Maracanã, na final da Copa América.

O descontentamento dos jogadores brasileiros após a derrota por 1 a 0 era nítido, mas o respeito contra os rivais, que mostraram melhor futebol na decisão, também. Foi o que o zagueiro Thiago Silva, um dos líderes da seleção brasileira, quis reforçar na entrevista pós-jogo.

"Primeiramente, temos que felicitar a equipe adversária. Não fomos normalmente o Brasil que a gente costuma ser. Quando você sai atrás num jogo desse nível, é difícil reverter. Ficou muito difícil", disse o defensor brasileiro, que chegou a falar da "catimba" característica dos argentinos. "Mas isso não é desculpa", desconversou o zagueiro.

Apesar de admitir que a Argentina foi melhor em campo e que não havia o que contestar, Thiago Silva desabafou sobre o que ele acredita ter sido uma desvantagem crucial na partida. "Deram só cinco minutos de acréscimo", disse em tom de reclamação o jogador.

Sobre a campanha na competição, que teve a polêmica por ser autorizada pelo governo a ser sediada em solo brasileiro, Thiago Silva elogiou a equipe e demonstrou mais uma vez respeito aos argentinos.

"Foi uma boa campanha, digna de chegar à final contra a Argentina. Eles fizeram por merecer para chegar nesse momento. Hoje poderia dar um dos dois, era 50% para cada lado. Dois grandes jogadores que fazem diferença para ambos os lados. Agora é levantar a cabeça. É motivo de orgulho também", concluiu o zagueiro da seleção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.