Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Elias admite carinho pelo Fla, mas se diz em casa no Corinthians

Volante quase retornou ao clube carioca antes da Copa América

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S.Paulo

10 de julho de 2015 | 09h25

O jogo entre Corinthians e Flamengo, domingo, no Maracanã, será especial para Elias. O volante já defendeu o clube rubro-negro, que tentou tirá-lo do Parque São Jorge antes da Copa América.

 "Estou feliz de voltar para a casa onde fui feliz. Agora defendo o Corinthians. Tenho certeza que antes e depois do jogo o respeito será mútuo. Mas durante os 90 minutos eles vão apoiar os jogadores deles. Então é concentração total. Vai ser um jogo difícil. Eles estão crescendo, o técnico está arrumando a equipe. Vai ser um grande jogo. É o maior jogo do Brasil. Espero que o Maracanã esteja cheio", afirmou o jogador após a vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-PR, quinta-feira, no Itaquerão.

Elias também garantiu que, apesar de o Flamengo ter demonstrado interesse em contratá-lo, a sua intenção é continuar no Parque São Jorge. "Aqui é minha casa, o clube que me abriu as portas para o mundo. Estou muito feliz, o Tite está feliz com o meu trabalho. Espero continuar aqui. Agradeço ao interesse do Flamengo, claro. Quem sabe um dia eu volte ao Flamengo, mas antes disso quero reescrever minha história no Corinthians", afirmou.

Após passar um mês com a seleção brasileira para a disputa da Copa América, Elias voltou ao Corinthians na semana passada não teve descanso. O volante foi titular nas partidas contra Ponte Preta, Goiás e Atlético-PR e tem sido um dos destaques da equipe.

"Normal a queda que tivemos no meio do ano, começamos muito fortes por causa das decisões que tínhamos logo de cara. Infelizmente tivemos duas eliminações e as cobranças vieram. Sempre acreditamos no trabalho do Tite, agora as coisas estão voltando ao lugar", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.