Eliminação aumenta a pressão no Guarani

A eliminação do Guarani na Copa do Brasil, quarta-feira, após o empate sem gols com o Santo André, voltou a deixar o clima carregado no estádio Brinco de Ouro. A torcida protesta contra os jogadores, a diretoria e já pede a cabeça do técnico Joel Santana.Diante deste cenário, o time ficou com a obrigação de vencer o Atlético Paranaense, sábado à tarde, em Campinas, pelo Campeonato Brasileiro.A direção do clube logo tratou de confirmar que Joel Santanta está mantido no cargo. Mas a desclassificação não estava nos planos e provocou mais desgastes internos.O presidente do clube, José Luiz Lourencetti, chegou a chorar nos vestiários do estádio Bruno José Daniel, no ABC, depois da eliminação para o Santo André.Jogadores e o técnico culparam o péssimo estado do gramado pelo empate. "Foi um jogo atípico, onde o time deles só se defendeu", desculpou-se Joel Santana, que agora volta sua atenção para o Brasileiro.O principal desfalque é o volante Sidney, suspenso por três jogos pela expulsão diante do Coritiba, na abertura da competição. Ele cumpriu apenas a automática - portanto, ainda ficará fora mais dois jogos.Existe ainda a dúvida sobre o aproveitamento do zagueiro Juninho, que sofreu um trauma no rosto, resultado de uma cotovelada do atacante Luís Fabiano, no jogo diante do São Paulo, domingo passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.