Eliminação do Fortaleza provoca destruição no Castelão

FORTALEZA - A eliminação do Fortaleza ainda na primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série C deixou um saldo de três mil cadeiras quebradas na Arena Castelão, neste domingo, na capital cearense. O empate de 2 a 2 com o Sampaio Corrêa acabou com o sonho do clube de voltar para a segunda divisão em 2014 e provocou a fúria de alguns torcedores. A eliminação veio já aos 47 minutos do segundo tempo, quando o zagueiro Paulo Sérgio empatou o jogo em 2 a 2. O resultado deixou o Sampaio Corrêa com 33 pontos, entre os quatro classificados do Grupo A para as quartas de final - os outros foram Santa Cruz, Luverdense e Treze -, e eliminou o Fortaleza, que terminou em quinto lugar, com 32 pontos.

Lauriberto Braga, Agência Estado

13 de outubro de 2013 | 20h21

Diante disso, a torcida do Fortaleza, que proporcionou o maior público da Arena Castelão (57.143 presentes neste domingo), descontou nas cadeiras do estádio. O comandante da Operação Castelão calculou preliminarmente em três mil assentos quebrados. Houve ainda quebra-quebra em outras instalações da Arena Castelão, que foi a primeira entre as 12 sedes da Copa do Mundo de 2014 a ficar pronta, em dezembro do ano passado. A diretoria do Fortaleza será responsabilizado pela destruição do estádio. A administração da Arena Castelão pretende descontar o valor do prejuízo da cota do clube sobre a renda deste domingo, que foi de cerca de R$ 940 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFortalezaArena Castelão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.