Luis Acosta/AFP
Luis Acosta/AFP

Eliminação leva Argentina a completar 25 anos sem conquistar títulos

Última conquista do futebol profissional argentino foi a Copa América de 1993, no Equador

Ciro Campos, enviado especial / Kazan, O Estado de S.Paulo

30 Junho 2018 | 13h31

A queda da Argentina na Copa do Mundo da Rússia, sacramentada neste sábado, com a derrota por 4 a 3 para a França, tem peso bem maior do que apenas se despedir da chance do tricampeonato mundial. A equipe sul-americana vai completar 25 anos sem ganhar títulos com o elenco principal, já que a última conquista foi em julho de 1993, quando bateu o México e conquistou a Copa América, no Equador.

+ TEMPO REAL: França 4 x 3 Argentina

+ FOTOS: Confira os memes da eliminação da Argentina

Desde então a equipe fracassou em Copas do Mundo, Copas Américas e Copa das Confederações. Embora tenha vencido competições de base como cinco Mundiais sub-20 e dois torneios olímpicos de futebol masculino, o país jamais conseguiu aproveitar os talentos para formar uma equipe forte na seleção principal. A Argentina vai embora da Rússia com duas derrotas, um empate e uma vitória em quatro jogos.

A queda pode significar a despedida de uma geração. O volante Javier Mascherano, de 34 anos, não deve jogar mais uma Copa e fica a dúvida sobre o futuro de Lionel Messi. O ganhador de cinco prêmios de melhor jogador do mundo fracassou na quarta tentativa de trazer o título que veio pela última vez em 1986, um anos antes do próprio Messi nascer. Na Rússia ele marcou somente um gol.

 

A sequência de fracassos da Argentina em competições tem relação com crises políticas recentes nos bastidores da Associação Argentina de Futebol (AFA), assim como a frequente troca de treinadores. Depois do vice na Copa do Brasil, em 2014, o time foi dirigido foi Gerardo Martino, Edgardo Bauza e Jorge Sampaoli, todos com perfis de trabalho e preferências muito diferentes entre si.

A Argentina por pouco não deixou de ir à Copa, ao se classificar apenas na última rodada, ao bater o Equador, em Quito. Na Rússia a equipe fez no Mundial a sua pior campanha das quatro últimas edições. Resultado inferior o time só teve em 2002, na Ásia, quando caiu ainda na fase de grupos.

O jejum de títulos da Argentina é o segundo maior entre seleções campeãs mundias. Apenas a Inglaterra, que não ganha um título desde 1966, vive hiato maior. O Brasil conquistou uma taça pela última vez em 2013, com a Copa das Confederações.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.