Cristiane Mattos| AFP
Cristiane Mattos| AFP

Eliminação na Libertadores deixa Aguirre sob pressão

'O elenco que temos não condiz com os resultados,' disse o presidente do Atlético-MG

Estadão Conteúdo

19 de maio de 2016 | 09h40

A queda do Atlético Mineiro nas quartas de final da Copa Libertadores, determinada com a vitória por 2 a 1 sobre o São Paulo, na noite de quarta-feira, no Independência, parece colocar o futuro do técnico Diego Aguirre em risco. Ao menos foi o que indicou Daniel Nepomuceno, presidente do clube, em breve entrevista após o duelo, avaliando que o rendimento da equipe em 2016 está abaixo do esperado.

"Não era o que a gente esperava, de jeito nenhum. O elenco que temos não condiz com os resultados. Agora é pensar no que fazer no futuro. Vou para casa e isso a gente decide depois", disse o presidente do Atlético-MG, que elogiou a postura da equipe diante do São Paulo e prometeu se pronunciar nesta quinta-feira mais detalhadamente sobre o futuro do time.

"Ninguém está satisfeito de ser eliminado da Libertadores com um time desses. O time jogou bem, os jogadores mostraram garra suficiente e faltou apenas um gol. Amanhã (quinta-feira) eu falo com vocês", acrescentou Nepomuceno.

No comando do Atlético-MG desde o início do ano, Aguirre viu a equipe fracassar nas três competições que disputou em 2016. O time foi eliminado na primeira fase da Copa da Primeira Liga, a Sul-Minas-Rio, perdeu a decisão do Campeonato Mineiro para o América e agora deixa a Libertadores nas quartas de final. Pressionado, o treinador uruguaio defendeu o trabalho que tem realizado à frente do time e garantiu estar tranquilo.

"Essa não é uma pergunta para mim. Estou tranquilo, porque fizemos um grande trabalho e lamentavelmente ficamos de fora de um dos nossos grandes objetivos. No começo, nosso objetivo era ganhar a Libertadores e o Brasileiro. Mas estou com a tranquilidade de ter feito as coisas como acho que tem de ser. São coisas que acontecem", disse.

Aguirre também reconheceu que a eliminação na Libertadores representa o fim de um sonho para o Atlético. "Muita tristeza, porque era o sonho de todos, trabalhamos muito para poder passar, avançar e, com as coisas que aconteceram, não chegamos ao objetivo. Estamos tristes, porque estivemos muito perto", comentou.

Fora da Libertadores, o Atlético agora volta as suas atenções para o Campeonato Brasileiro. No próximo domingo, às 11 horas, o time vai enfrentar o Atlético Paranaense, na Arena da Baixada, pela segunda rodada da competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.