Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Eliminações, troca de técnico e protestos: o São Paulo no 1.º semestre

Em cinco meses, time do Morumbi fracassa na Libertadores e Copa do Brasil, fica com o vice no Paulistão e tem apenas o Brasileirão no segundo semestre

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2019 | 10h00

O São Paulo teve um primeiro semestre para ser esquecido. Com eliminações nos primeiros desafios da Libertadores da América e, mais recentemente, da Copa do Brasil, a equipe tem agora apenas a disputa do Brasileirão até o fim da temporada. No Paulistão, a tricolor do Morumbi evoliu durante os mata-matas, mas ficou com o vice-campeonato ao ser derrotada pelo Corinthians na decisão.

Em cinco meses, o São Paulo foi comandado por três técnicos diferentes, mudou o elenco e sofreu cobranças da torcida. Relembre abaixo tudo que aconteceu no clube até agora nesta temporada.

Pior campanha de todos os tempos na Libertadores

Tricampeão da Libertadores da América, o São Paulo fez sua pior campanha de todos os tempos na edição de 2019 do principal torneio do continente. Após perder por 2 a 0 para o Talleres na Argentina, a equipe tricolor empatou sem gols no Morumbi e foi eliminada ainda na segunda fase preliminar da competição.

A queda precoce fez a diretoria mudar o planejamento para o restante da temporada. Na previsão orçamentária para 2019, o clube esperava chegar ao menos até as quartas de final da Libertadores, com R$ 20 milhões de receitas durante o torneio. Nada disso deu certo. Perdeu prestígio em campo e dinheiro. 

Sai Jardine, e Mancini assume até Cuca chegar

A eliminação na Libertadores e as atuações ruins do São Paulo fizeram o técnico André Jardine ser afastado em fevereiro. Ele era aposta do presidente Leco. Jardine tinha assumido o comando da equipe principal no fim de 2018, após a eliminação de Diego Aguirre. O treinador teve sucesso nas categorias de base do próprio clube, mas não correspondeu no profissional. Em abril, foi para a seleção brasileira sub-20.

Cuca foi contratado, mas só pôde assumir a equipe no começo de abril por causa da recuperação de uma cirurgia no coração. Entre a saída de Jardine e a chegada de Cuca, quem comandou o São Paulo de forma interina foi o coordenador técnico Vagner Mancini, que fez bom trabalho.

Time evolui no mata-mata, mas perde decisão do Paulistão

O São Paulo se classificou para as quartas de final do Paulistão ao empatar por 1 a 1 com o São Caetano na última rodada da fase de grupos. No primeiro desafio do mata-mata, a equipe passou pelo Ituano com vitórias por 2 a 1 e 1 a 0. Na semifinal, o adversário foi o Palmeiras. Após empate sem gols no Morumbi, o placar se repetiu no Allianz Parque e a disputa aconteceu nos pênaltis. O São Paulo venceu por 5 a 4 e avançou à decisão, no jogo que marcou a estreia de Cuca no comando da equipe - Vagner Mancini passou a ser auxiliar e ficou ao lado do treinador no banco de reservas até o fim do Paulistão.

Na final, porém, o São Paulo perdeu para o Corinthians. A equipe mais um vez empatou por 0 a 0 na ida no Morumbi, mas foi derrotada por 2 a 1 em Itaquera.

Começo do Brasileirão empolga

O São Paulo teve um começo animador no Brasileirão, com três vitórias e um empate nas quatro primeiras rodadas. Entretanto, nos últimos dois jogos do campeonato, a equipe empatou com o Bahia em casa e perdeu para o Corinthians em Itaquera. O time tricolor está em quarto lugar na tabela, com 11 pontos. Ocorre que o São Paulo não responde mais dentro de campo, o time voltou a jogar mal e a torcida promete protestar de novo. O clima é tenso.

Eliminação na Copa do Brasil

O São Paulo estreou na Copa do Brasil já nas oitavas de final porque tinha disputado a Libertadores. No primeiro compromisso, porém, foi eliminado pelo Bahia. A equipe perdeu por 1 a 0 tanto na ida no Morumbi quanto na volta na Arena Fonte Nova. Com a queda, o São Paulo ficou apenas com a disputa do Brasileirão até o fim de 2019. É muito pouco para um clube com sua história e que se propôs retomar o caminho das vitórias e das conquistas. O São Paulo não ganha nada desde 2012. E isso tem incomodado o torcedor. 

Protestos da torcida

A campanha do São Paulo neste primeiro semestre de 2019 foi motivo para diversos protestos da torcida. Logo após a eliminação para o Talleres, os torcedores cobraram o elenco, comissão técnica e diretoria na porta do Morumbi. Na semana seguinte, mais um protesto liderado pela principal torcida organizada. Em 18 de fevereiro, no dia da apresentação de Cuca, os torcedores foram ao CT da Barra Funda e protestaram contra a diretoria e alguns jogadores. Eles encenaram um jogo de futmesa entre Jucilei, Nenê, Diego Souza e Reinaldo.

Uma semana depois, a organizada realizou um outro protesto no Morumbi antes do jogo contra o Red Bull Brasil. Os torcedores encenaram uma marcha fúnebre, com velas, cruzes e fumaça preta. Além dos protestos, torcedores organizados se reuniram duas vezes com líderes do elenco e dirigentes no CT da Barra Funda durante o mês de fevereiro. Após cerca de três meses sem manifestações, a principal organizada convocou torcedores para um protesto na manhã deste sábado, no CT da Barra Funda, enquanto o elenco treina na véspera da partida contra o Cruzeiro. Alguns jogadores foram embora, como Diego Souza, e outras devem seguir o mesmo caminho, conforme avenou Cuca após a eliminação diante do Bahia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.