Victor Hafner/Divulgação
Victor Hafner/Divulgação

Eliminada do Paulistão, Ponte Preta perde R$ 150 mil em assalto ao clube

Assaltantes invadiram sede na madrugada desta segunda feira rendendo seguranças e jogadores da base

AE, Agência Estado

29 de abril de 2013 | 11h44

CAMPINAS - O prejuízo da Ponte Preta no domingo foi além da goleada sofrida para o Corinthians, por 4 a 0, e da eliminação nas quartas de final do Campeonato Paulista. O clube sofreu um assalto por volta da meia noite e teve subtraído de seus cofres em torno de R$ 150 mil, parte do time referente à arrecadação do jogo disputado no Estádio Moisés Lucarelli.

As informações ainda não são precisas, mas consta que três homens armados renderam os porteiros por volta da meia noite e também mantiveram alguns jogadores das categorias de base como reféns. Eles moram no alojamento do estádio. As vítimas foram levadas à uma sala da secretaria onde estava um cofre pesando 300 quilos. As próprias vítimas depois foram obrigadas a ajudar na locomoção até o veículo usado para o assalto.

O jogo de domingo gerou uma renda de quase R$ 500 mil. Perto de um terço disso, algo em torno de R$ 150 mil, fica para as despesas. O restante foi dividido entre Ponte Preta e Corinthians. O time da capital já havia levado sua parte na noite de domingo, enquanto os campineiros preferiram deixar a quantia no local. Os valores não foram confirmados, mas a Ponte teve prejuízo avaliado em R$ 150 mil.

A Polícia Militar confirmou o roubo e analisará as imagens do local para esclarecer o caso. As escadas do Moisés Lucarelli foram danificadas e são pistas para o inquérito. Os jogadores das categorias de base também serão ouvidos.

Com a derrota para o Corinthians, a Ponte agora disputará o Troféu do Interior no Campeonato Paulista. A equipe enfrentará o Linense, em partida marcada para o próximo final de semana, em Campinas. A Federação Paulista de Futebol irá anunciar nesta tarde de segunda-feira o horário e o dia do confronto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.