Eliminado, Santos folga até quarta-feira

Depois da desclassificação no Paulista, os jogadores do Santos ganharam uma folga prolongada e só retornam ao CT Rei Pelé na tarde de quarta-feira. A partir daí, o técnico Emerson Leão irá iniciar os preparativos para a estréia do time no Brasileiro, dia 21, contra o Paraná, uma vez que o jogo contra o Jorge Wilstermann, marcado para dia 14 na Vila Belmiro, é praticamente um amistoso, pois os santistas garantiram antecipadamente o primeiro lugar no grupo e estão classificados para a próxima fase. Leão irá trabalhar seu time para o Brasileiro, campeonato que será encerrado só em dezembro, pensando na possibilidade da saída de vários jogadores em julho, entre eles Alex, Paulo Almeida e Diego. Assim, ele terá de preparar os substitutos de alguns atletas para terminar a disputa do campeonato nacional. No retorno da folga, o técnico deverá conversar com o meia Diego, que mais uma vez deixou o campo reclamando da substituição. Só que agora houve um troca de palavrões entre os dois, tornada pública pelas emissoras de televisão. Mesmo não atravessando uma de suas melhores fases, o meia não se conforma de ser sempre substituído no segundo tempo e isso pode aguçar ainda mais sua vontade de deixar a Vila Belmiro. Por enquanto, não se fala em negociações, mas Diego está providenciando seu passaporte italiano, o primeiro passo para jogar na Europa. Há informações na Vila Belmiro de que uma transferência do meia passaria pelo inglês Tottenhan, que já teria um pré-contrato assinado pelo jogador. O Santos quer receber US$ 8,5 milhões pela metade dos direitos federativos do atleta, sendo que o valor da outra metade seria negociado pelo pai e procurador, Djair Cunha. Seu contrato vence em julho do ano que vem, quando terá liberdade para negociar livremente, sem ter de dividir os valores com o clube e, para o Santos, a melhor época para negociar o atleta é no meio do ano. Se esperar até o fim do ano, aumenta o risco de a transação não ser realizada e o atleta permanecer o semestre restante para ficar com todo o dinheiro da transferência. Em relação a Leão, a saída de Diego não afetaria muito seus planos e ele já demonstrou várias vezes que o jogador é dispensável se surgir uma proposta interessante para o Santos. Técnico e jogador têm temperamento forte e o desentendimento de sábado pode complicar o relacionamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.