Marcelo Sayão/EFE
Marcelo Sayão/EFE

Eliminados, Oswaldo e Seedorf lamentam jogo de ida

Após vitória por 3 a 1 sobre o Palmeiras, Botafogo foi derrotado por 2 a 0 no confronto de ida

AE, Agência Estado

23 de agosto de 2012 | 08h57

RIO - A vitória por 3 a 1 sobre o Palmeiras, conquistada na noite da última quarta-feira, no Engenhão, não foi suficiente para manter o Botafogo vivo na Copa Sul-Americana, pois a equipe foi derrotada por 2 a 0 no confronto de ida desta fase inicial da competição continental. Após o confronto, o técnico Oswaldo de Oliveira e o meia Seedorf admitiram que o revés sofrido em Barueri, no início deste mês, acabou pesando para a eliminação, decretada por causa do gol tomado no Rio.

O comandante e o meio-campista holandês concordaram que faltou mais competência ofensiva ao time carioca no duelo de ida diante dos palmeirenses. "Nesta quarta-feira, fizemos três gols e fomos superiores, em que pese o regulamento. No jogo de lá (em Barueri), tivemos chances de marcar e não conseguimos. E os gols que saíram lá poderíamos ter evitado. A decisão aconteceu lá, porque merecíamos, e poderíamos, ter marcado", lamentou Oswaldo.

Seedorf, por sua vez, amargou a sua primeira eliminação com a camisa botafoguense, mas exaltou a importância de o time ao menos ter mostrado força e conseguido vencer o Palmeiras. "Pagamos caro de novo. A vitória é importante, foi outro jogo bem feito pelo time, mas a gente precisa continuar crescendo. Um pecado a gente não ter conseguido marcar gols fora de casa, quando teve muitas oportunidades. Em campeonatos internacionais é muito importante fazer gols fora de casa", enfatizou o atleta, em entrevista à FOX Sports.

O craque ainda admitiu que ele próprio precisa mostrar um futebol melhor com a camisa do Botafogo, depois de ter encerrado a sua vitoriosa passagem pelo Milan para atuar no futebol brasileiro. "Espero crescer mais, é metade de temporada para todo mundo aqui no Brasil, e eu estou no começo, mas estou fazendo o máximo para me integrar ao time, sendo que estou melhorando, mas sinto que preciso crescer mais. O time está me ajudando muito nisso, mas vou trabalhar para ajudar o time", prometeu.

Mas, se a noite foi de lamentações para os botafoguenses, Oswaldo de Oliveira não deixou de elogiar o espírito de luta da sua equipe. "Claro que não estou satisfeito com o resultado, mas feliz com a vontade e o desempenho da equipe", disse o treinador, para depois completar: "Não considero o dever cumprido porque este seria a classificação. Mas tem aspectos que devem ser ressaltados mesmo com a eliminação. Marcamos o mesmo número de gols que o adversário".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.