Fadi al Assaad/Reuters
Fadi al Assaad/Reuters

Eliminatórias Asiáticas: Japão está perto da vaga e Usbequistão é a surpresa

Coreia do Sul e Austrália correm por fora e batalha por repescagem está arriscada

O Estado de S. Paulo,

21 de março de 2013 | 08h00

SÃO PAULO - Inscreveram-se 43 equipes para as Eliminatórias Asiáticas e elas se dividiram previamente em três categorias. Na principal delas estavam as quatro seleções que jogaram a Copa de 2010 (Japão, Coreia do Sul, Coreia do Norte e Austrália), mais o Bahrein, que disputou a repescagem para o último mundial. Para as outras categorias a divisão foi feita de acordo com as últimas Eliminatórias. No segundo grupo estavam 22 equipes e no outro 16, que iniciaram a competição em um mata-mata.

As oito que avançaram se juntaram às 22 e formaram 15 confrontos em ida e volta. Os vencedores se juntaram aos cinco da categoria principal e um sorteio os dividiu em cinco grupos de quatro equipes. Após partidas de turno e returno dentro de cada chave, as duas melhores se classificaram para fase final. Nesta etapa os dez times estão em dois grupos de cinco. Após outro turno e returno, o campeão e o vice de cada chave estará na Copa do Mundo. Os dois terceiros colocados se enfrentam em uma repescagem, também em ida e volta. O vencedor jogará ainda contra o quinto colocado da Conmebol uma nova repescagem para decidir quem irá ao mundial.

Está para começar a sexta rodada da última fase de grupos. O Japão lidera com folga no grupo B, com oito pontos de vantagem sobre a Austrália, a segunda colocada. No grupo A a surpresa é o Usbequistão, que está em primeiro, com um ponto a mais do que a Coreia do Sul.

Principais candidatos:

- Japão: virtualmente classificada, os atuais campeões asiáticos têm uma equipe jovem, mas com considerável rodagem internacional. Os destaques são o atacante Shinji Kagawa (Manchester United) e o zagueiro Maya Yoshida (Southampton). Apesar de dominar no continente, a equipe ainda não mostrou muita força diante de rivais mais tradicionais. Falta ao restante do elenco ter mais experiência fora do futebol japonês.

- Coreia do Sul: aposta na velocidade para se dar bem. Após o meia do Manchester Park Ji-Sung anunciou que se aposentaria da seleção, ainda não encontrou um substituto para liderar o elenco. A equipe carece de experiência internacional e tem como principais jogadores o meia Ki Sung-Yueng (Swansea) e o atacante Park Chu Young (Celta de Vigo).

- Austrália: tem como arma a força física e o jogo aéreo para se dar bem. Tais atributos fazem a diferença diante de rivais asiáticos, tradicionalmente mais franzinos que os australianos. Porém falta velocidade e categoria à equipe que está repleta de jogadores experientes. No gol está Schwarzer (Fulham), de 40 anos, e no meio estão Bresciano (Al Gharafa-CAT), de 33, e Cahill (New York Red bulls), também de 33.

- Usbequistão: é um elenco cheio de jogadores desconhecidos e que atuam no futebol do próprio país. O jogador mais famoso é o meia Akhmedov, que joga no Anzhi, da Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.