Eliminatórias: Itália exige garantias

A Itália teme pela segurança de sua seleção, que se prepara para a partida contra a Georgia, dia 2, pelas eliminatórias da Copa de 2002. O jogo será em Tblisi, capital do país que fez parte da antiga União Soviética e que agora vive situação política conturbada. Há rumores de insurreição de parte do exército local, o que poderia levar a um golpe de Estado.A Federação Italiana de Futebol já enviou pedidos à União Européia de Futebol (Uefa) e à Fifa para que sejam apresentadas garantias para a equipe do técnico Giovanni Trapattoni. Também o Ministério do Exterior da Itália foi acionado. Uma alternativa, caso a situação não volte ao normal, seria o adiamento do confronto, que vale pelo Grupo 8 europeu.A Itália lidera com folga (tem 13 pontos, sete à frente da Romênia) e está a um passo da classificação para o Mundial. Trapattoni convocou os 22 jogadores e a maior surpresa foi Luciano Zauri, da Atalanta. Até o dia 10, ele estava suspenso por ter-se envolvido no escândalo de acerto de resultado na partida que sua equipe fez com a Pistoiese, em outubro de 2000, pela Copa Itália. A pena foi revogada depois de apelo à Corte Federal.Trapattoni chamou os goleiros Buffon (Parma) e Toldo (Fiorentina, mas acertando transferência para o Barcelona). Mais os zagueiros Bertotto (Milan), Cannavaro (Parma), Maldini (Milan), Materazzi (Perugia) Nesta (Lazio), Pancaro (Lazio) e Coco (Milan); meio-campistas: Di Livio (Fiorentina), Fiori (Udinese), Zauri (Atalanta), Liverani (Perugia) , Tacchinardi (Juventus), Tommasi (Roma), Zambrotta (Juventus), Zenoni (Atalanta). No ataque, estarão Del Piero (Juventus), Filippo Inzaghi (Juventus), Totti (Roma), Montella (Roma) e Vieri (Internazionale).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.