Elson abre nova crise no Palmeiras

O meio-campista Elson disse que não joga mais no Palmeiras com Jair Picerni como técnico. O meia não se conformou de ter sido sacado do time para o retorno de Diego Souza no jogo de ontem contra o Goiás, menos de 24 horas depois de ser confirmado como titular. Elson entrou durante o jogo. Antes, por telefone, disse ao repórter do JT: ?O que o Jair fez comigo não se faz nem com um cachorro.? JT ? Quando ficou sabendo que sairia do time?Elson ? Na terça, por volta das 23h, o Fred (Fred Smânia, auxiliar-técnico), me chamou em seu quarto. Pensei que fosse me dar instruções, mas me avisou que iria para o banco e que o Diego voltaria ao time porque o Picerni gosta dele. Fiquei p..., afinal havia ganho a posição no campo e o cara (Diego) nem vinha jogando bem. JT - Qual foi sua reação? Elson - Perguntei ao Fred se havia saído do time por ser mais feio que o Diego. Afinal, o Picerni o havia ?detonado? antes do treino de segunda pelas declarações que deu, dizendo-se injustiçado por não ter sido sequer relacionado para enfrentar o São Gabriel (semana passada, pela Copa do Brasil). O que ele (Picerni) fez comigo não se faz nem com um cachorro. Nunca dei trabalho. Desde o ano passado ele está tentando me prejudicar. Teria de me engolir pelo que faço em campo. JT - E como o grupo reagiu à mudança na escalação? Elson - A maioria dos jogadores ficou sem saber o que falar, não acreditou no que estava acontecendo. JT- O Picerni não é um treinador aberto ao diálogo? Elson - Digo apenas que ele só sabe mandar recados pelo Fred. E aí fico sem saber o que realmente acontece. Mas ele age assim com todos os jogadores. Não sei quem manda aqui dentro. JT - Então o treinador não tem poder sobre o grupo? Elson - Pense uma coisa: o Diego faz o que faz (uma alusão às saídas noturnas do meia), fala m... na imprensa e se diz injustiçado. Toma uma baita dura do Picerni na frente de todos e um dia depois volta ao time. O que você quer que eu imagine? Digo mais: quem ganhou a Série B do Brasileiro foram os jogadores. O Picerni não teve importância nenhuma. Ele gosta de jogadores problemáticos, que não querem nada com nada. E me usa quando não tem opções. JT - Que medida pensa em tomar? Elson - Vou explicar à diretoria que não quero mais permanecer no Palmeiras com o Picerni. Pedirei a rescisão contratual. Mas é bom que a torcida saiba o que aconteceu. Meu empresário (Oliveira Júnior) me incentivou a tomar essa decisão. Já estou estudando propostas de outros clubes do Brasil e do exterior. JT - Quais clubes? Elson - Prefiro não revelar. JT - Não seria melhor esperar antes de tomar uma decisão? Elson - Coloque-se no meu lugar: o que você faria? Já vi de tudo no futebol, mas uma falta de respeito como essa jamais. O Palmeiras é um clube maravilhoso, paga em dia e, pelo que sei, o presidente Mustafá Contursi gosta muito de mim. Mas vou seguir minha vida em outro lugar. JT - Você acha que o Diego forçou a barra para voltar? Elson - Com certeza não. JT - O pênalti que você perdeu contra o Paulista na semifinal do Paulistão pode ter influenciado a decisão do Picerni? Elson - Perdi um na decisão por pênaltis, mas converti outro com bola rolando, quando o Paulista estava vencendo por 3 a 1. Aliás, naquele momento não apareceu ninguém para assumir a responsabilidade. Eu fui lá e bati, tive personalidade. Só erra quem bate.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.