Elson: saudade de Conceição do Araguaia

Elson conta os dias para voltar para Conceição do Araguaia, interior do Pará. Depois de ajudar o Palmeiras a retornar à Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro, o meia não vê a hora de estar em casa. Quer curtir com os amigos e a família o momento mais importante de sua carreira. Aos 22 anos, o jogador acredita que encontrou o lugar ideal para jogar futebol: "O Palmeiras é a maior vitrine do Brasil", diz.Em seis meses de clube - chegou em maio - conquistou a torcida. O problema para Elson é mesmo no final de dezembro, dia 31, quando termina o seu contrato com o Palmeiras. Ele afirma que não quer deixar o time. A menos que seja para o exterior."Quero ficar até por tudo o que aconteceu com a gente. Não quero sair do Palmeiras. Espero um final feliz para a minha situação", afirma Elson. O seu futuro está nas mãos do empresário e presidente do Ituano Oliveira Júnior, que detém os direitos federativos do jogador. "Para sair do Palmeiras só se for para a Europa", avisa Elson.No mês que vem, o meia finalmente poderá voltar para a sua cidade descansar e fazer o que mais gosta depois de jogar futebol, pescar."Chegando lá, pegaremos uma lancha e iremos para o Rio Araguaia. Pescaremos e depois passaremos uns dias nas ilhas que têm por ali. Aí volto para a pré-temporada." A última vez que Elson esteve em Conceição do Araguaia, a três mil quilômetros de São Paulo, foi em julho do ano passado. "Mas eu fiquei só três dias. A festa lá já está toda preparada. Vou curtir as férias como campeão." Enquanto isso não chega, o meia palmeirense curte os dias de fama. As entrevistas têm sido rotina na vida do meia."Hoje mesmo eu dava uma entrevista para uma rádio de lá (Conceição do Araguaia). Me disseram que vai ter até caminhão de bombeiros. Sou muito grato ao pessoal da minha cidade, me ajudou muito. Tenho muito orgulho de lá." Fora de campo, procura não se expor muito. Prefere ficar em casa com a esposa Ana Paula, com quem é casado há três anos, e com a filha Geovanna, de 11 meses. Mas, desde o início do quadrangular final da Série B, a casa ganhou mais um integrante. É o senhor Francisco, pai de Elson."Ele deu sorte para nós. Só vai embora quando acabar o quadrangular." Em sua terra natal, além do pai, Elson mora com a madrasta Maria Graci, que prefere chamar de tia: "Ela é como uma segunda mãe para mim", revela. Vive também com os irmãos Anderson e Kleverson, além do filho João Vítor, de cinco anos.Para o ano que vem, Elson está otimista. "Acho que 90% da minha situação está definida. Os outros 10% ficam pela assinatura do contrato. Por mim eu assinaria em branco", e vai mais longe: "Quero chegar na Seleção Brasileira. Tenho idade para disputar a Sub-23.Enquanto o grupo não estiver definido, vou continuar lutando." Conceição do Araguaia aguarda o retorno de seu filho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.