Nelson Perez / Fluminense FC
Nelson Perez / Fluminense FC

Em 1ª atividade após protesto de torcida, Abel comanda treino fechado no Flu

Elenco se anima para buscar vaga na Copa Sul-Americana

Estadão Conteúdo

29 Novembro 2017 | 13h34

Em meio a um final de temporada melancólico para o Fluminense, o técnico Abel Braga comandou na manhã desta quarta-feira, no CT do clube, no Rio, um treino fechado que visou a disputa da partida contra o Atlético-GO, domingo, às 17 horas, em Goiânia, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

+ Aos gritos de 'time sem vergonha', Flu perde e vê Sport sair da zona do descenso

+ Fluminense projeta 2018 admitindo que ano ruim 'serve de lição'

Embora o time não tenha objetivos expressivos a buscar nesta despedida do Brasileirão, no qual até poucas semanas atrás conviveu com o risco de rebaixamento, o treinador dirigiu uma atividade qualificada como "bastante intensa" pelo próprio clube, por meio de seu nota oficial.

Esse foi, por sinal, o primeiro treinamento do time após o protesto realizado por torcedores na porta da sede do Flu, nas Laranjeiras, na noite da última terça-feira, quando uma manifestação que começou tímida, com cerca de 20 pessoas, passou a contar com aproximadamente 100 integrantes, munidos com faixas.

 

Eles aproveitaram que dirigentes do Fluminense estariam presentes ao local em reunião do Conselho Deliberativo, marcada para ocorrer à noite, para manifestar indignação com a atual gestão do presidente Pedro Abad e fazer cobranças. Entre elas, descritas nas faixas, estiveram a conclusão do novo CT do clube, a contratação de reforços de peso e a obtenção de um acordo para que o time passe a contar com um patrocinador master.

Pouco mais de 12 horas depois deste protesto contra a administração tricolor, os jogadores fizeram um treino coletivo comandado por Abel, que durou aproximadamente uma hora e vinte minutos, segundo informou o site do clube. Nesta rodada final do Brasileirão, o treinador não poderá escalar o lateral Marlon e o atacante Marcos Junior, que receberam o terceiro cartão amarelo na partida diante do Sport, no último sábado, no Maracanã, onde a equipe carioca decepcionou sua torcida ao ser derrotada por 2 a 1.

Na 14ª posição do Brasileirão, com 46 pontos, o Fluminense almeja conquistar uma possível vaga na Copa Sul-Americana nesta última jornada da competição. Rival deste domingo, o Atlético-GO fechará a sua campanha como lanterna, mesmo que vença o time carioca, e consequentemente já está rebaixado à Série B.

Após o treino desta quarta, o lateral Léo, que deverá ser escalado como substituto de Marlon em Goiânia, deu entrevista coletiva e falou sobre o peso de o time poder conquistar um lugar no torneio continental. "A gente tem que almejar aquilo que é possível e a Sul-Americana é possível para a gente. Então, vamos entrar focados no domingo e fazer um bom jogo para alcançar essa vaga", afirmou o jogador, que também disse encarar com naturalidade a insatisfação dos torcedores do Fluminense atualmente.

"Jogo após jogo, a torcida espera algo melhor, é normal ela cobrar e pedir para melhorar o rendimento porque ali está o sentimento e a paixão pelo clube. A torcida quer sempre o bem do Fluminense e a gente vai buscar isso", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.