Em 10 anos de carreira, Messi soma 8 indicações a melhor do mundo

Em 10 anos de carreira, Messi soma 8 indicações a melhor do mundo

Argentino é o jogador que mais participou de finais na história do prêmio. Desde 2007, ele foi indicado em todas as edições

O Estado de S. Paulo

02 de dezembro de 2014 | 10h35

Lionel Messi tem uma relação de intimidade com o prêmio de melhor jogador do mundo entregue pela Fifa. Não à toa, ele é o maior vencedor da história da premiação, com 4 troféus aos 27 anos de idade. Mais do que isso, durante os dez anos de carreira, ele foi indicado à final da condecoração nada menos do que oito vezes.

O argentino está entre os três melhores do mundo desde o ano de 2007, quando disputou o prêmio com Cristiano Ronaldo pela primeira vez. Naquela ocasião, porém, quem faturou foi o brasileiro Kaká. Desde então, Messi esteve presente em todas as listas de finalistas e ganhou quatro vezes consecutivas: entre 2009 e 2012. Ele ficou com o segundo lugar em três ocasiões - 2007, 2008 e 2013.

Com a indicação confirmada nesta segunda-feira, Messi abre vantagem como jogador que mais vezes participou da final da premiação, com oito. O segundo lugar foi assumido por seu 'arquirrival' Cristiano Ronaldo, com seis indicações - igualando o craque francês Zinedine Zidane. Além dos dois, também concorre ao prêmio neste ano o goleiro Manuel Neuer, da seleção alemã e do Bayern de Munique, este indicado pela primeira vez.

A favor de Messi, pesam os recentes recordes batidos por ele, que se tornou o maior artilheiro da história do Campeonato Espanhol, com  253 gols, e da Liga dos Campeões, com 74. Além disso, ele liderou a Argentina até a final da Copa do Mundo de 2014 em pleno Maracanã. Apesar do vice-campeonato mundial, ele foi consolado com um questionado prêmio de melhor jogador do torneio, que também pode lhe ajudar a conseguir o penta da Bola de Ouro.

Na primeira vez em que foi indicado, em 2007, Messi havia marcado 17 gols em 36 jogos, em um ano atrapalhado por lesões. Na atual temporada, o argentino já tem os mesmos 17 gols em 18 partidas. Em toda sua carreira, Messi já anotou 429 gols e é o maior artilheiro da história do Barcelona, com 371 tentos. Como se não bastasse, ele está a apenas 12 gols de superar Batistuta e se tornar o maior goleador da seleção argentina em todos os tempos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.