Em 2004, Guarani vai seguir o orçamento

A diretoria do Guarani já tem um ponto definido e inflexível para a próxima temporada: vai trabalhar em cima dos valores estimados para a entrada nos cofres do clube. Não fará nenhum investimento de risco e continuará apoiando o trabalho de base, considerado um dos exemplos no futebol brasileiro. Na planilha de gastos do clube, o departamento de Futebol terá um valor aproximado de R$ 1 milhão por mês, arrecadado basicamente com direitos de imagens de televisão e patrocinadores. Há previsão de uma folga orçamentária no primeiro semestre, quando o clube receberá também dinheiro da Federação Paulista de Futebol nos quatro primeiros meses por conta do Campeonato Paulista. A verba vinda através do Clube dos 13, em torno de R$ 800 mil por mês, é dividida em dez parcelas iguais. Esta filosofia do clube visa evitar transtornos com atrasos salariais ou débitos com fornecedores, além de respeitar a lei de responsabilidade fiscal que entra em vigor a partir de janeiro. Em cima desta nova realidade, a diretoria já antecipou as renovações de alguns contratos como dos meias Alex e Simão, revelados no clube. Do grupo dos emprestados, pelo menos três jogadores estão nos planos: o goleiro Jean, o zagueiro Bruno Quadros e o volante Leandro Guerreiro. Todos já iniciaram conversações e deve m continuar no Brinco de Ouro. Os maus resultados no final do Campeonato Brasileiro colocaram em risco a permanência do técnico Barbieri, mas que, em princípio, está confirmado para a temporada de 2004. Na última rodada, o time perdeu a vaga para a Copa Sul-Americana na briga direta com o Figueirense, que levou a melhor em Florianópolis, ao vencer por 2 a 0.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.