Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Em 4º duelo neste Carioca, Flamengo e Fluminense se reencontram por vaga na final

Equipes rivais se enfrentam nesta sábado para empolgar após tropeços no meio de semana

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2019 | 08h00

Depois de travarem três clássicos apenas nesta edição do Campeonato Carioca, Flamengo e Fluminense se reencontrarão mais uma vez neste sábado, às 19 horas, no Maracanã, para um quarto e último duelo entre os clubes, que agora valerá vaga na finalíssima do Estadual.

O regulamento esdrúxulo da competição colaborou para os dois velhos rivais medirem forças em tantas ocasiões no torneio, que no domingo ainda contará com uma semifinal entre Vasco e Bangu, no mesmo Maracanã, na terceira partida entre as equipes em um intervalo de apenas duas semanas.

No primeiro Fla-Flu deste Carioca, em fevereiro, o time tricolor eliminou o rival com uma vitória por 1 a 0 na semifinal da Taça Guanabara, graças a um gol marcado no finalzinho de um confronto no qual os rubro-negros tinham a vantagem de poder empatar para ir à decisão.

Depois disso, as equipes se cruzaram novamente na última rodada da fase de classificação da Taça Rio e o Flamengo levou a melhor, com um triunfo por 3 a 2, mas atuando diante de um adversário cheio de reservas, pois a vaga nas semifinais do segundo turno já havia sido garantida pela equipe comandada por Fernando Diniz.

Em seguida, justamente no duelo que valeu uma vaga na final da Taça Rio, os flamenguistas voltaram a ganhar do adversário, desta vez por 2 a 1, antes de bater o Vasco nos pênaltis para faturar a taça do segundo turno. E isso apenas depois de buscar uma igualdade por 1 a 1 no sufoco, com um gol de Arrascaeta aos 48 minutos do segundo tempo.

Por ter sido campeão da Taça Rio, o Flamengo terá a vantagem de atuar por um empate neste sábado para avançar à final do Estadual. O volante Cuéllar, porém, minimizou a importância deste fato ao projetar o clássico nesta sexta-feira. "Não significa nada, a gente não entra em campo pensando em empatar. É uma regra do torneio que temos a favor e não atrapalha para nós dentro do campo. Temos que entrar pensando em ganhar, fazer um bom jogo que leve a gente à decisão", afirmou o colombiano, em entrevista coletiva.

E o atleta não escondeu o seu descontentamento por precisar encarar o Fluminense pela quarta vez neste Carioca. "Para mim é muito ruim enfrentar uma equipe muitas vezes no ano. Ainda tem Brasileiro pela frente, então serão seis ou sete jogos. Não acho saudável para a performance do jogo. Você enfrenta as mesmas coisas do jogo passado, mas temos que nos adaptar à regra do torneio", conformou-se.

Pelo lado tricolor, o goleiro Rodolfo previu mais um clássico tenso e difícil para a sua equipe. "Esse jogo vai ser no mesmo clima de todos os Fla-Flus que jogamos até agora no ano e pela tensão do último, tende a ser complicado", afirmou o jogador, que também lamentou o fato de o time não poder contar com o meia Paulo Henrique Ganso, suspenso por ter sido expulso justamente no último Fla-Flu.

"Na criação, é um excepcional jogador e nos ajuda muito na criação do meio-campo. Vem evoluindo na marcação também, é uma perda grande, mas quem entrar no lugar dele vai dar conta do recado", acredita o goleiro.

Sem Ganso, Diniz deverá confirmar a entrada de Daniel no time tricolor. Ele já substituiu o titular no decorrer do empate por 0 a 0 com o Luverdense, fora de casa, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil, e deve formar um trio de meio-campo com Bruno Silva e Caio Henrique.

No Flamengo, o técnico Abel Braga deverá manter a mesma formação titular que começou o jogo contra o Peñarol, na última quarta-feira, no Maracanã, apesar da derrota por 1 a 0 para o time uruguaio e dos pedidos da torcida pela entrada de Arrascaeta, contratação mais cara da história do clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.