Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Em 45 minutos, Palmeiras derrota a Ponte

Quatro minutos do primeiro tempo, o zagueiro Nen desvia a bola de cabeça, após cruzamento, e abre o placar para o Palmeiras. Quatro minutos depois, o lateral-esquerdo Bill, da Ponte Preta, xinga o juiz e é expulso. Pronto! Oito minutos foram suficientes para sacramentar a vitória palmeirense. No mais, o trabalho foi só ampliar o marcador. E quem diria, Nen foi o nome do jogo. Aos 40 ele ampliou e aos 42 Muñoz definiu o placar: 3 a 0. Só para completar, Nen (de novo ele!) acabou expulso, já aos 40 da etapa final. Com os três pontos, a equipe de Jair Picerni chegou a oito e ocupa provisoriamente a quinta posição no Campeonato Brasileiro. A Ponte continua com 10 e divide a liderança com o São Paulo. Se para o Palmeiras a vitória representou a manutenção de uma invencibilidade de 14 jogos em seu estádio, para o time de Campinas significou a primeira derrota na competição. "O árbitro pegou pesado comigo", lamentou o lateral ponte-pretano Bill. Mesmo sem demonstrar a velocidade tão cobrada por Picerni nos treinamentos, o Palmeiras aproveitou o destempero do adversário logo no início do jogo e se impôs. Com os três gols deste sábado, a equipe soma nove e já é o terceiro melhor ataque da competição, atrás de Vitória (11) e Goiás (10). O próximo jogo dos palmeirenses pelo Brasileiro é diante do Cruzeiro, dia 16, em Belo Horizonte. Antes disso, na quarta-feira, enfrenta o Santo André, no ABC, na primeira partida das quartas-de-final da Copa do Brasil. A Ponte volta a jogar no mesmo dia, contra o Coritiba, em Campinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.