Em adeus, Ceará diz entender diretoria do Cruzeiro e veta defender Atlético-MG

Após três anos e meio defendendo a camisa celeste, o lateral Ceará se despediu do Cruzeiro nesta quinta-feira. O veteranos, aos 35 anos, não teve seu contrato renovado pela diretoria, mas foi homenageado na Toca da Raposa pelos 133 jogos que fez, conquistando duas vezes o Brasileirão (2013 e 2014), uma vez a Copa do Brasil (2014) e uma o Campeonato Mineiro (2014).

Estadão Conteúdo

03 de dezembro de 2015 | 19h28

Reserva de Mayke e brigando por posição também com o jovem Fabiano, contratado no início da temporada junto à Chapecoense, Ceará disse entender a decisão da diretoria. "Se estivesse no lugar dos dirigentes, faria a mesma coisa. O Cruzeiro tem três laterais de excelente qualidade, os outros dois bem mais jovens que eu, com potencial maravilhoso", comentou o veterano em entrevista coletiva.

Com três filhos em idade escolar, Ceará gostaria de ficar em Belo Horizonte, uma vez que está adaptado à cidade. De cara, entretanto, ele descarta jogar no Atlético. "A gente não pode descartar nenhum tipo de situação. Uma única coisa que descarto é jogar no maior rival do Cruzeiro, mas não descarto nenhum tipo de situação", explicou. O América-MG, que conquistou o acesso na Série B, estaria interessado no jogador.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruzeiroBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.