Em alerta, Palmeiras busca reforços

O presidente Affonso Della Monica levou um susto na noite de quinta-feira, após o empate do Palmeiras com o Atlético Sorocaba por 2 a 2, pelo Campeonato Paulista. Quando se dirigia das tribunas para o vestiário do Parque Antártica, foi abordado por alguns torcedores, que tentaram agredi-lo, mesmo estando no cargo há menos de dois meses. O pânico dos amigos que o rodeavam foi grande, mas o dirigente saiu ileso do incidente. Depois do episódio, conselheiros e diretores do clube sugeriram a Della Monica que não fosse mais ao vestiário da equipe após as partidas, apenas antes, ocasião em que o clima ainda costuma ser ameno.De acordo com pessoas próximas, ele deve acatar a recomendação e não se expor mais em eventos que reunam tanta gente, principalmente na fase ruim pela qual passa o Palmeiras. Della Monica, um apaixonado por futebol e pelo Palmeiras, está preocupadíssimo com a situação da equipe. E, na manhã da sexta-feira, reuniu-se com pessoas de sua confiança, como o novo diretor de Futebol Salvador Hugo Palaia, para discutir o futuro do time. Chegaram a uma conclusão: há, sem dúvida, a necessidade de reforços, conforme já havia dito o técnico Candinho.E, como o mercado nacional oferece poucas opções de bom nível, a saída será correr atrás de atletas brasileiros que atuam no exterior. Jogadores que não estejam se dando muito bem e pensem em retornar ao País. O meia Roger, contratado pelo Corinthians, foi oferecido e interessou aos dirigentes. Mas a possibilidade de sua chegada foi logo afastada quando o Benfica pediu 3 milhões de euros para liberá-lo. "Aí é demais, não dá para pagar tanto", afirmou um conselheiro ligado a Della Monica.Infelizmente, dizem os dirigentes, esses reforços só poderão ser contratados para a segunda fase da Copa Libertadores da América - caso o time passe da primeira etapa - e para o Campeonato Brasileiro. As inscrições para o Paulista terminaram na sexta-feira. E o receio do rebaixamento é grande entre os cartolas. "Estamos com medo, o time tem jogado muito mal, não pode empatar com o Atlético Sorocaba em casa e corre riscos", alertou um diretor, que pediu para não ter seu nome divulgado. A prioridade é levar para o Parque Antártica um meia e um atacante.Pressão - O elenco fugirá da pressão nos próximos dias. A delegação viajou no fim da tarde de sexta-feira para Itu, onde enfrentará domingo o Ituano. O time continuará no interior na segunda-feira e retornará à capital apenas na manhã de terça-feira. Mas praticamente não ficará em São Paulo. Assim que chegar à cidade, seguirá para o Aeroporto de Guarulhos para embarcar rumo a Assunção. Na quarta-feira, o time estréia na fase principal da Libertadores, contra o Cerro Porteño. Para o confronto do Paraguai, Candinho anunciou que utilizará três zagueiros.

Agencia Estado,

26 de fevereiro de 2005 | 11h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.