Lluis Gene/AFP
Lluis Gene/AFP

Em alta, Bayern desafia Liverpool em casa; Barcelona recebe Lyon no Camp Nou

Depois de dois decepcionantes empates sem gols nos jogos de ida, equipes buscam vagas nas quartas de final

Redação, Estadão Conteúdo

13 de março de 2019 | 11h00

Depois de dois decepcionantes empates sem gols nos jogos de ida, Bayern de Munique x Liverpool e Barcelona x Lyon voltam a movimentar o mata-mata da Liga dos Campeões, nesta quarta-feira, ambos às 17 horas (de Brasília). Se no primeiro confronto não há favoritos, o segundo tem o claro favoritismo do time de Lionel Messi, em busca da vaga nas quartas de final.

Na Allianz Arena, o embalado Bayern terá pela frente um velho conhecido: Jürgen Klopp, ex-técnico do Borussia Dortmund. Se teve sucessos contra o rival de Munique, o treinador perdeu uma final da competição europeia para o Bayern na temporada 2012/2013.

O primeiro jogo foi marcado pelo equilíbrio, sem gols no Anfield Road. Mas o status das duas equipes mudaram desde aquela partida. O Liverpool tropeçou e perdeu a liderança do Campeonato Inglês para o Manchester City. O Bayern vive situação oposta. Emplacou uma série de sete jogos sem derrota - apenas um empate, justamente com o Liverpool - e desbancou o Borussia Dortmund da ponta do Alemão.

"Eles estão em um momento diferente, obviamente. É uma fase muito mais positiva para o Bayern, no topo da tabela, vencendo jogos confortavelmente. Então, eles estão de volta ao rumo certo, se é que o deixaram em algum momento. Gosto disso, não porque acho que é mais fácil, apenas porque mostra o quão forte eles são", avalia Klopp.

Ele pediu atenção especial com Lewandowski, artilheiro da Liga dos Campeões nesta temporada com oito gols. "O Lewandowski é um atacante de primeiro nível, não há dúvida. Mas ele tem forças e diferenças diferentes, não é como se pudéssemos anular uma coisa e ele a deixasse de fazer", comenta.

O treinador, contudo, acredita no potencial da equipe inglesa para surpreender os alemães em Munique. "Nós somos fortes o suficiente para fazer um jogo duro e esta é a única coisa que podemos esperar em uma situação assim. É isso que estou pensando: como podemos causar problemas que eles nunca tiveram diante de outros oponentes nesta temporada? Eles tem adversários fortes, mas se estivermos em nosso melhor, podemos ser excepcionais, que é o que precisamos ser", projeta Klopp.

Do outro lado, o técnico Niko Kovac admite preocupação com a forte defesa do Liverpool, uma das melhores da Europa nesta temporada. "Sabemos que eles são fortes na defesa. Com a volta de Virgil van Dijk, o Liverpool vai ser ainda mais forte na defesa, mas nós podemos marcar mais gols. Nós temos mostrado isso na Bundesliga", diz o treinador.

"Amanhã [quarta] não será um 0 a 0. Nós queremos vencer e esta é forma com que nós encaramos o jogo... O que nós precisamos é melhorar nossa eficiência na frente. Estou confiante de que amanhã, em casa com o apoio de nossos torcedores, seremos ainda mais eficiente no ataque e criaremos mais oportunidades (de gol do que no duelo de ida)", afirma Kovac.

Para este duelo, ele terá os retornos do lateral-esquerdo austríaco David Alaba e do atacante francês Kingsley Coman. Os dois jogadores estão recuperados de lesões e deverão ser as principais novidades da equipe para este confronto decisivo. Por outro lado, não terá o versátil Joshua Kimmich, suspenso.

NO CAMP NOU

Franco favorito, o Barcelona tenta extrair lições da queda precoce do Real Madrid para evitar nova surpresa neste mata-mata da Liga dos Campeões. Pelo menos, este foi o discurso do técnico Ernesto Valverde nestes últimos dias. "Não podemos subestimar o Lyon", diz o treinador.

Para este confronto, Valverde não terá problemas de lesão. Somente Ousmane Dembélé é dúvida após sofrer com dores no tendão, no fim de semana. Messi, Luis Suárez e o brasileiro Arthur estão garantidos entre os titulares.

Já o Lyon tenta se apegar à surpreendente atuação do Ajax, algoz do poderoso Real, na semana passada. "O resultado do Ajax nos fortaleceu. Muitas coisas dependem do Messi e vamos tentar desenvolver um plano para reduzir sua influência. Precisamos correr riscos calculados. A partida não vai terminar 0 a 0, acredito. Precisamos de gols, mas também estar preparados para sofrer", diz o técnico Bruno Genésio.

Se o Ajax serve como inspiração, o próprio Lyon já se mostrou capaz de surpreender uma das potências do continente fora de casa. Afinal, na fase de grupos, derrotou o Manchester City por 2 a 1 em pleno Etihad Stadium.

"Precisamos jogar nosso jogo. Sabemos como é enfrentar um dos melhores times do mundo. Também sabemos o que podemos fazer para explorá-los, porque já o fizemos. Precisamos dar tudo em campo, mostrar que estamos em nosso lugar. Temos que construir, como fizemos contra o City. Mas é um contexto diferente, com um passo a mais a ser dado", afirma o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.