Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Em alta, camisa do Palmeiras valoriza 1450% em um ano

Clube passa de R$ 2 milhões de patrocínio no uniforme para R$ 31 milhões e valores ainda podem aumentar nas próximas semanas

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2015 | 07h05

Se em 2014 o presidente Paulo Nobre contava moedas para pagar as contas no Palmeiras, este ano a situação está bem melhor. E isso fica claro quando se vê a valorização da camisa. Somando todos os patrocinadores no uniforme, o clube tem um aumento de 1450% no faturamento em um ano.

Na temporada passada o Palmeiras teve como patrocínio fixo na camisa apenas a Tim, que paga R$ 2 milhões por ano para exibir a marca dentro do número. O clube teve alguns patrocinadores esporádicos, mas nada relevante. Para 2015, o cenário é completamente diferente.

A diretoria anunciou ontem a parceria com a Prevent Senior, que estampará seu nome por um ano na camisa (região dos ombros) pelo valor de R$ 6 milhões. Com os R$ 2 milhões da Tim e mais os R$ 23 milhões da Crefisa, patrocinadora master, já são R$ 31 milhões garantidos até dezembro. E as cifras devem aumentar, porque a barra e a manga da camisa estão sendo negociadas e existe a possibilidade de ser vendido um espaço no calção.

Outra importante fonte de renda, o Avanti, programa de sócio-torcedor, também vai muito bem. E deve ter mudanças. Paulo Nobre admitiu que vai aumentar o preço dos planos por causa da mudança de local onde o Palmeiras manda seus jogos.

"O Avanti está adaptado ao Pacaembu, que é um estádio do século passado, e agora vai se moldar ao Allianz, onde há mais benefícios e conforto. Não só o Avanti, mas o preço dos ingressos também deve mudar", avisou.

Em relação ao time, a novidade foi a presença de quatro garotos que disputaram a Copinha treinando com o time principal: o lateral-esquerdo Guilherme e os atacantes Gabriel Leite, Chistopher e Gabriel Jesus. Deles, quem tem mais chance de ser aproveitado no Paulistão é Gabriel Jesus.

O atacante Kelvin passou por exames e foi constatada uma entorse no joelho esquerdo. Os médicos não falam em previsão para o retorno, mas geralmente o tempo de recuperação vai de dois a três meses – razão pela qual ele não deve ser inscrito no Campeonato Paulista. 

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.