JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Em alta no Palmeiras, Willian ouve coro por titularidade pós-Copa

Atacante tem 12 gols marcados na temporada e se aproxima de Borja, com 15, na artilharia do time

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

08 Junho 2018 | 07h00

Autor dos gols que premiaram a boa atuação do Palmeiras diante do Grêmio na quarta-feira, em Porto Alegre, o atacante Willian vive boa fase na equipe alviverde e deve centralizar uma dúvida crucial do técnico Roger Machado para o restante da temporada do time.

TRT-RJ nega mandado de segurança de Scarpa e meia não pode voltar ao Palmeiras

O jogador ganhou confiança e vive o bom momento no lugar de Borja, artilheiro do time na temporada com 15 gols, que jogará a Copa do Mundo com a Colômbia. Com 12 gols, Willian vive a expectativa de saber se continuará no time com Borja, se volta para o banco, como opção ao colombiano, ou se manda  o camisa 9 para a reserva.

Os números dos dois animam a torcida, e a perspectiva de vê-los juntos em campo nesta boa fase faz os palmeirenses quererem até evitar comparações entre os dois. Mas para alguns, Borja é mais "cascudo" para atuar como centroavante.

A boa fase do camisa 29 também causou impacto fora dos gramados para o Palmeiras. Após um ano e meio de clube, ele aparece pela primeira vez no Top 3 de camisas mais procuradas com seu nome e número na rede de lojas oficiais do clube, a Academia Store, ao lado de outros craques como Dudu, Felipe Melo e o próprio Borja. Cerca de 20% dos pedidos são de camisas do centroavante.

Em entrevista recente, Willian disse que não vê problema em atuar ao lado do colombiano. Ele afirmou que vê características diferentes entre eles, e que a dúvida para Roger Machado é positiva no sentido de permitir alternativas.

"Com o Miguel (Borja) a equipe ganha na referência, na explosão, nas diagonais que ele faz e com o tiro curto que ele aproveita sempre muito bem para conseguir finalizar. Eu já atuou de um forma um pouco diferente", analisou o jogador ao Sportv.

Mais conteúdo sobre:
Palmeiras futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.