Lucas Merçon / Fluminense
Lucas Merçon / Fluminense

Em apresentação, Fred fala sobre a reestreia pelo Fluminense: 'Bem fisicamente'

Atacante deve estrear já no retorno do Flu durante a pandemia, contra o Volta Redonda, neste domingo

Redação, Estadão Conteúdo

27 de junho de 2020 | 18h31

Motivado e ansioso são as palavras que definem como está Fred, de acordo com o próprio centroavante, para a reestreia pelo Fluminense neste domingo contra o Volta Redonda, no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, pela quarta rodada da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. A volta do jogador marca a retomada do clube tricolor em jogos oficiais após a paralisação de mais de três meses por conta da pandemia do novo coronavírus.

"Muito motivado e ansioso pela estreia. O professor Odair Hellmann perguntou se eu queria participar nesse primeiro jogo. Os treinos foram bem fortes nesse tempo sem futebol, senti o mesmo ambiente que eu deixei quando saí do Fluminense. Vi muita qualidade e velocidade no time. É leve, motivado para fazer um grande ano e tenho certeza que tudo vai dar certo e já vai começar amanhã (domingo) na estreia. Nosso objetivo é fazer gols e buscar uma vitória que é muito importante para a nossa classificação", disse Fred, em sua apresentação por videoconferência.

Ao lado do presidente Mario Bittencourt, Fred voltou a falar sobre o carinho dos torcedores. "Vi que é diferente o relacionamento com a torcida quando vi a minha esposa, que não liga para futebol, falar que é diferente quando eu coloco a camisa do Fluminense. Lógico que ela faz aquela marcação nas minhas redes sociais (risos), mas vê que é só a galera tricolor mandando mensagem. Sempre deixei claro que o Fluminense é o lugar que mais me transformou como jogador e ser humano, pelas dificuldades e alegrias que passei. É o clube onde tenho mais história, onde recebi mais apoio e tenho certeza que vou retribuir mais uma vez com gols", afirmou.

O centroavante já chega ao Fluminense com uma primeira meta à frente: a artilharia dos principais estádios do Rio de Janeiro. Ele briga por se tornar o maior goleador tanto do Maracanã (hoje é Gabriel, do Flamengo) quanto do Engenhão, local da partida deste domingo. Ele está a apenas dois gols do uruguaio Loco Abreu, do Botafogo.

"Minha assessoria já me falou que estou a dois gols do Loco Abreu para me tornar artilheiro do Engenhão. Então é mais um objetivo. O principal é ganhar. Queria fazer pelo menos um gol no domingo para começar bem. E agora já tenho este objetivo extra que, se fizer dois gols, vou igualar o Loco Abreu. Mas estes números têm que aparecer de forma natural. Não me pressionam, é legal. Escrever meu nome no estádio do Engenhão que é importante para a gente. Jogamos os jogos dos dois anos de título do Brasileiro lá. Não abrimos mão do Maracanã, que é a nossa casa, mas temos que dar a vida em todos os lugares onde jogamos", comentou.

Neste domingo, Fred atuará ao lado do meia Paulo Henrique Ganso. Diagnosticado com a covid-19, Nenê não foi relacionado. Mas a possibilidade de os três atuarem juntos já foi abordada pelo centroavante. O jogador lembrou que a decisão cabe ao técnico Odair Hellmann, mas ressaltou que todas as opções estão abertas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseFred

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.