Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Em ascensão, Fla quer aproveitar crise no Palmeiras e manter embalo no Brasileiro

Duelo marca o primeiro encontro entre Luiz Felipe Scolari e Jorge Jesus, ambos reconhecidos em Portugal

Redação, Estadão Conteúdo

01 de setembro de 2019 | 11h21

Animado pela classificação às semifinais da Copa Libertadores depois de 35 anos e vivendo o seu melhor momento na temporada, o Flamengo terá um desafio importante para colocar à prova a qualidade do seu elenco. Neste domingo, às 16 horas, o time rubro-negro recebe o Palmeiras, no Maracanã, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro em duelo direto pela ponta da tabela.

Além de opor os dois clubes mais ricos do futebol brasileiro e que brigam pela primeiras posições, a partida vai marcar o primeiro encontro entre Jorge Jesus e Luiz Felipe Scolari. Admirados em Portugal, onde foram vitoriosos - o flamenguista com o Benfica e Sporting e o palmeirense no comando da seleção do país lusitano - os dois técnicos são amigos há mais de 15 anos e ainda não se enfrentaram.

"Felipão deixou uma marca em Portugal. É meu amigo, estivemos várias vezes juntos lá. Ele fez uma caminhada por todo povo português, todos gostam dele lá. Vou ter muito gosto de enfrentá-lo. Nunca pensei em vir ao Brasil e jogar contra ele. Mas a vida é muito complexa, feita de surpresas, e essa é uma surpresa positiva", comentou Jesus.

Durante a passagem de Felipão por Portugal, Jesus ainda não era um treinador de renome internacional. Hoje ele o é. Conseguiu respeito em seu país depois de uma passagem extremamente vitoriosa pelo Benfica e, agora, ganhou, em pouco tempo, a admiração da torcida do Flamengo com um início de trabalho elogiável, levando o time rubro-negro à liderança do Campeonato Brasileiro e às semifinais da Libertadores.

"Vejo o Jorge como o treinador que mais exigiu de mim fisicamente. Estamos muito satisfeitos com ele. Que possamos seguir evoluindo, ele nos mostrando coisas diferentes e possamos atingir o objetivo principal", elogiou o zagueiro Rodrigo Caio.

Diante de um rival em crise pela eliminação na Libertadores, o Flamengo, dono do melhor ataque do torneio - 35 gols marcados - e que vem de três triunfos convincentes seguidos sobre Grêmio, Vasco e Ceará, não quer aliviar. Deve ter todos os seus titulares em campo no Maracanã. A única baixa em relação aos últimos jogos é o volante Cuéllar, negociado com o Al-Hilal, da Arábia Saudita.

A saída do colombiano para o futebol árabe abriu uma dúvida no meio-campo. A tendência é que Gerson seja titular no setor ao lado de Arão. Caso Jesus opte por uma escalação mais conservadora, pode escalar o paraguaio Piris da Motta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.