Matt Varley|Reuters
Matt Varley|Reuters

Em áudio, piloto insiste em pousar: 'Avião está em falha elétrica, sem combustível'

Avião que caiu teria sofrido pane seca momentos antes de pousar no aeroporto de Medellín

O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2016 | 18h28

"Falha total, falha elétrica total, sem combustível". Essas teriam sido uma das últimas frases do piloto do Avro RJ85 da LaMia que caiu na terça-feira na Colômbia e matou 19 jogadores da Chapecoense, de acordo com  um áudio divulgado nesta quarta-feira pela rádio colombiana Blu. 

A gravação de Miguel Quiroga com a torre de controle do aeroporto de Medellín mostra o desespero do piloto diante da falta de combustível na aeronave. O avião bateu em um morro e deixou 71 mortos. A delegação da equipe de Chapecó estava a bordo para a disputa do primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional.

O áudio revela que o piloto pediu para pousar e ouve como resposta que a "próxima chance" seria somente em  sete minutos. Um outro avião também solicitou emergência quase ao mesmo tempo à torre de comando e a prioridade para aterrissar foi dada a um Airbus A320, com capacidade maior de passageiros.

Veja a transcrição de parte do aúdio (minuto 9 do vídeo):

Piloto: Senhorita, Lamia 2933, está em falha elétrica, falha elétrica total, sem combustível.

Torre de controle: Pista livre e com chuva sobre a superfície Lamia2933. Bombeiros em alerta.

Piloto: Vetores à pista.

Torre de controle: Não tenho você no radar. Não sei que rumo tem agora.

Piloto: Rumo 360, 360.

Torre de controle: Você se encontra. Pela esquerda com rumo 350.

Piloto: Esquerda 350, senhorita

Torre de controle: Sim, correto. Está a 0,1 milha do de  Rio Negro. Não o tenho com altitude.

Piloto: 9 mil pés, senhorita. Vetores, vetores!

Torre de controle: Está a 8,2 milhas da pista

Piloto: Jesus!

Torre de controle: Que altitude tem agora?

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.