Fabio Menotti/Agência Palmeiras
Fabio Menotti/Agência Palmeiras

Em áudio, presidente do Conselho do Palmeiras critica vinda de Mano: 'Burrice'

Seraphim Del Grande afirma que escolha pelo novo treinador coloca em risco a continuidade da gestão dó presidente Galiotte

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

03 de setembro de 2019 | 09h18


O presidente do Conselho Deliberativo (CD) do Palmeiras, Seraphim Del Grande, criticou nesta segunda-feira a decisão do presidente do clube, Mauricio Galiotte, de demitir o técnico Luiz Felipe Scolari e abrir negociação com Mano Menezes. Em áudio gravado pelo aplicativo WhatsApp e recebido pelo Estado, o dirigente pede a saída do diretor de futebol Alexandre Mattos e avalia que a troca no comando da equipe pode prejudicar politicamente a atual gestão.

"Sem dúvida, se vier o Mano Menezes, seria o caos para nós. Eu espero que o Mauricio (presidente) não faça essa burrice, que se fizer a burrice é o enterro do resto do mandato dele", disse Del Grande no áudio (confira a íntegra no cabeçalho da reportagem). "Eu acho que nem era o momento de mandar o Felipão embora, devia mandar o Alexandre Mattos embora, e não ele. Ele deveria continuar mais uns dois meses para ver como ia o time. Mas infelizmente o problema do Palmeiras é o Alexandre Mattos", comentou em outro trecho da gravação.

Questionado pelo Estado nesta terça-feira, Del Grande confirmou a veracidade do áudio. "Eu tenho minha opinião. Não tenho nada a esconder", disse por telefone ao Estado. Na opinião do presidente do Conselho Deliberativo, a opção de trazer Mano Menezes não é benéfica, pois o treinador não desfruta de prestígio no clube. "O Palmeiras está precisando agora de tranquilidade. A vinda do Mano, pela repercussão que tem, vai manter a pressão em cima do clube. Do que o Palmeiras menos precisa agora é de pressão", comentou.

Del Grande é um aliado político importante na gestão de Galiotte. O presidente do Conselho esteve ao lado do mandatário do clubes em pautas importantes, como uma do ano passado, na articulação para conseguir a mudança no estatuto para alterar o tempo de gestão do presidente de dois para três anos. Del Grande se reelegeu em março deste ano para a presidência do CD, inclusive com apoio do próprio Galiotte. Ele tem voz ativa e é respeitado o clube.

Nas redes sociais, a torcida palmeirense demonstrou reprovação na noite de segunda-feira à informação das conversas iniciais entre o clube e Mano Menezes. A campanha contrária ganhou força nas redes sociais. Segundo Del Grande, nos bastidores do Palmeiras também há resistência à escolha. "Eu não estou levando em consideração o trabalho dele, mas sim vir a pressão e continuar com um clima bélico no Palmeiras. Já há muita rejeição sobre ele no clube", disse. O Palmeiras ainda não anunciou o substituto de Felipão.

Íntegra do áudio

Boa noite. Infelizmente tá indo as coisas muito errado (sic). Eu tenho falado muito com o Mauricio (Galiotte), mas ele nem tem escutado. Eu acho que nem era o momento de mandar o Felipão embora, devia mandar o Alexandre Mattos embora, e não ele. Ele deveria continuar mais um dois meses para ver como ia o time. Mas infelizmente o problema do Palmeiras é o o Alexandre Mattos. Sem dúvida se vier o Mano Menezes seria o caos para nós. Eu espero que o Mauricio não faça essa burrice, que se fizer a burrice é o enterro do resto do mandato dele. Eu tô passando, inclusive, esse apelo que você fez para mim eu tô passando para o Mauricio, para o Paulo Buosi, que é o primeiro vice-presidente. E eu ainda sou presidente do Conselho. Mas o regime é presidencial. E eu estou fazendo meu papel de fazer com que o Mauricio não faça ainda mais besteira do que está fazendo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.