Satiro Sodré/Divulgação
Satiro Sodré/Divulgação

Em baixa, Botafogo e Flamengo se encaram em clássico na Copa do Brasil

Times deixam de lado má fase no Brasileirão para tentar arrancada no torneio mata-mata

LEONARDO MAIA, Agência Estado

25 de setembro de 2013 | 07h49

RIO - Caso fosse realizado há algumas semanas, o clássico entre Botafogo e Flamengo, pelas quartas de final da Copa do Brasil, prometia grande público e otimismo de ambos os lados. No atual momento, a partida ainda traz muita expectativa e adrenalina, mas pelos motivos errados. O duelo desta quarta-feira, às 21h50, no estádio do Maracanã, encontra os clubes em má fase e com os seus torcedores desanimados.

O time alvinegro é o vice-líder do Campeonato Brasileiro, mas vem de duas derrotas seguidas e deixou o Cruzeiro abrir distância na luta pelo título. O rendimento de Seedorf caiu muito e a torcida botafoguense começa a temer o mesmo filme de outras edições, quando a equipe perdeu fôlego no terço final da competição. Os rubro-negros vivem cenário muito mais deprimente. À beira da zona de rebaixamento no Brasileirão, sem técnico, que abandonou um barco sob ameaça de naufragar, e sem seu principal jogador, o volante Elias, suspenso.

A necessidade de vencer o confronto de logo mais, o primeiro das quartas, é grande para ambos, que buscam ganhar fôlego e recuperar confiança com uma vitória sobre um rival em uma partida importante. "Eu vou forte e sem medo. O Flamengo não tem que ter medo de nada. Tem que respeitar, mas fazer o jogo e ganhar", discursou o rubro-negro Jayme de Almeida.

Ambos os treinadores fecharam os treinos de véspera, mas nem Oswaldo de Oliveira, pelo lado botafoguense, nem o auxiliar efetivado no Flamengo fizeram força para ocultar suas equipes. "Não treinei nada especial. Os atletas estão sendo forçados há 19 jogos, não precisam de mais. Os titulares nem treinaram", comentou o técnico alvinegro, que tem dois desfalques. O atacante Elias defendeu o Resende na Copa do Brasil e está inativo. Assim como o zagueiro Bolívar, suspenso. "Na defesa joga o Dankler (em sua estreia pelo time, sem atuar há mais de um ano). No ataque ainda não me decidi".

No Ninho do Urubu, Jayme de Almeida também não fez mistério. Ele antecipou o retorno do goleiro Felipe e do lateral-direito Leonardo Moura. No lugar de Elias, também confirmou Luiz Antônio. "Elias faz falta. Mas estamos tendo a volta do Léo e o Luiz Antonio voltou a jogar bem", destacou o técnico flamenguista.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do BrasilBotafogoFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.