Jarbas Oliveira/EFE
Jarbas Oliveira/EFE

Jogadores da seleção tentam recuperar o respeito dos torcedores

Com moral baixo com a torcida, meta é resgatar o orgulho nacional

ALMIR LEITE, ENVIADO ESPECIAL A FORTALEZA, O Estado de S. Paulo

11 de outubro de 2015 | 07h00

A ficha começa a cair. Finalmente. Os jogadores da seleção brasileira já admitem que estão com moral em baixa com os torcedores, depois dos seguidos fracassos recentes - na Copa do Mundo, em 2014, na Copa América disputada no meio do ano e na estreia nas Eliminatórias, com a derrota para o Chile. Sinal claro disso está sendo dado em Fortaleza, onde a seleção se encontra desde a noite de sexta-feira para o jogo com a Venezuela. Não existe a comoção das passagens anteriores.

O assédio está sendo muito, mais muito menor do que nas três últimas passagens da seleção pela cidade - na Copa das Confederações em 2013 e duas vezes na Copa do Mundo de 2014. O treino deste sábado, por exemplo, apenas um grupo de cerca de 50 pessoas se interessou por assistir.

Na porta do hotel, a quantidade de torcedores que fazem "vigília'' em busca de um contato com os jogadores ou pelo menos para vê-los de longe é bem menor, e menos entusiasmada do que no passado.

A "moral em baixa''  foi admitida pelo volante Luiz Gustavo, jogador que normalmente fala pouco, mas não deixa de dizer o que pensa. "Temos que ser humildes e reconhecer essa cobrança, desilusão, insatisfação em geral com a seleção'', reconheceu em entrevista no sábado.

Ele também deu a "receita'' para recuperar o prestígio, e entende que a seleção tem capacidade de conseguir isso a médio prazo. "Acreditamos que somos capazes de obter novo rumo com essa camisa, mas só vamos conseguir passo a passo.''

O lateral-esquerdo Marcelo, que era definido pelo ex-técnico Luiz Felipe Scolari como o "cabeça fresca'' da seleção que montou, é menos preocupado com o distanciamento do torcedor. " Não estamos preocupados com as vaias ou com aplausos. Mas nos receberam bem quando chegamos a Fortaleza. O clima está legal.''

Para o jogador do Real Madrid, a cobrança dos torcedores por vitórias é normal.  "A torcida está com a gente, quer ver o Brasil ganhar. Cabe a nós fazer nosso trabalho e ganhar.''

A seleção volta a treinar na tarde deste domingo. A atividade está marcada para o Presidente Vargas, mas existe a possibilidade de ser transferida para o Castelão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.